Pátio se emociona durante coletiva - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

O prefeito José Carlos do Pátio convocou uma coletiva, na tarde desta quarta-feira para falar sobre o seu processo de cassação e qual a real situação do município nesse período. Ao chegar na sala de reuniões, Pátio fez questão de cumprimentar um por um que estava no local e disse antes de iniciar a sua fala que não comentaria sobre política durante a entrevista, já que está muito sensibilizado com os últimos acontecimentos.

Apresentando abatido, sentado ao lado da primeira dama, Neuma de Morais e de seu advogado, José Pereira, o prefeito iniciou a coletiva dizendo que o objetivo do encontro era tranquilizar a população de Rondonópolis. “Vamos continuar os trabalhos administrativos normalmente. Já me reuni com todos os secretários e assessores diretos e pedi a eles que continuassem com a rotina mantendo tranquilidade e equilíbrio no trabalho”, fala.

A reunião foi conduzida pelo prefeito como se fosse uma prestação de contas a população, querendo mostrar que está tudo organizado na sua gestão. Sobre as contas do município, Pátio declarou que estão em dias e que do ano passado restam apenas R$ 200 mil em dívidas e que deverão ser quitadas em breve.

Leia também:  Samu passa a contar com central mais ampla e moderna

Pátio afirmou que continua sendo o prefeito de Rondonópolis e que segue com o seu trabalho normalmente. “Não vou conceituar a decisão do TRE – MT (Tribunal Eleitoral Regional), respeito à determinação, mas vou buscar meus direitos. Até lá continuo minha vida normalmente. Caso seja necessário um afastamento eu cumprirei a determinação”, diz.

Emocionado o prefeito agradeceu a todos que prestaram solidariedade, inclusive a Câmara de Vereadores. “As duas instituições estão unidas neste momento, já conversei com o presidente da Câmara e também com outros vereadores e eles estão dispostos a ajudar no que for melhor para a cidade”, conta.

O gestor manteve a linha de não falar sobre política durante toda a entrevista e no momento em que foi questionado novamente sobre o possível abandono de seu partido (PMDB), Pátio, repetiu a frase dizendo que não vai se declarar sobre o assunto.

Leia também:  OAB/MT quer auditar sistema de escutas no Estado

SOBRE O PROCESSO

Várias pessoas acompanharam a entrevista do prefeito - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

Várias pessoas acompanharam a coletiva, onde Pátio explicou que o processo em que está sendo acusado é referente a 2.800 camisetas de cor vermelha que segundo ele foram feitas para os fiscais que usariam durante a votação. “Foram feitas 2.800 camisetas, mas foram declaradas apenas 2.300 e são essas 500 camisetas que estão no processo”, alega.

De acordo com Pátio durante o processo que ocorreu ainda em Rondonópolis ele foi julgado com veredito ao seu favor, porque ficou entendido que os fiscais de outros partidos também tinham camisetas, só que na cor amarela.

“Neste momento estamos apenas aguardando sair o Acórdão (uma representação, resumida, da conclusão a que se chegou) do TRE para que possamos entrar com o recurso no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o intuito de reverter à situação”, fala.

Leia também:  Sanear libera rede de esgoto da Vila Goulart para uso dos moradores

O advogado do prefeito, José Pereira, afirmou que acredita em uma decisão favorável do TSE por ser o último ano de mandado. “Caso haja uma decisão favorável, ele volta a tomar posse do cargo e volta a ser legível eleitoralmente”, conta.

José Pereira apesar de não ter colocados datas para o desenrolar de todo o processo comentou que pela sua experiência todo o processo não deve demorar para se ter uma solução final.

Confira a entrevista em vídeo.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=S40D3UWK2Fw&feature=youtu.be[/youtube]

 

 

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.