Vereadores, Ongs e representante da OAB participarão da reunião - Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

A Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal juntamente com as Ongs e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Rondonópolis vão fazer uma denúncia coletiva ao Ministério Público (MP) sobre o esgoto que está sendo jogado no Rio Vermelho. Essa decisão aconteceu depois de uma reunião convocada pelo presidente da Comissão, vereador Olímpio Alves, onde todos demonstraram indignação sobre o crime que está sendo praticado pelo Sanear (Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis). Para as Ongs esse foi um dos maiores danos ambientais ocorrido na cidade.

O vereador Olímpio comentou que quer enviar um comunicado oficial ao MP para que seja investigados os culpados pela ação. De acordo com Olímpio hoje a tarde será realizado uma reunião na cidade com a participação da Promotoria de Meio Ambiente, Sema (Secretaria Estadual de Meio Ambiente), Semma (Secretaria Municipal de Meio Ambiente) para se tratar sobre as providências que serão tomadas daqui para frente.

Leia também:  Escola Municipal desenvolve projeto de leitura há 20 anos e mobiliza alunos e comunidade

“Fui informado que a Sema já está bem inteirada dos fatos e que no fim de semana os técnicos chegaram a percorrer 48 km do rio e não conseguiram ver até onde chegou os prejuízos causados por esse esgoto”, diz. Segundo Olímpio todos acreditavam que o esgoto que estava sendo jogado no Rio Vermelho era tratado e que isso foi descoberto da pior forma. “Aí fica a pergunta onde foi parar o dinheiro para esse tratamento que não está sendo feito”, alega.

O presidente do grupo ambiental Arareau, Magno Pereira da Silva, declarou que as Ongs querem uma punição severa para o crime, já que se trata de uma situação premeditada. “Punição não só para o Sanear, mas também para as pessoas que autorizaram que isso acontecesse. Esse foi um dos maiores danos ambientais ocorridos em Rondonópolis”, fala.

Leia também:  População deve se reunir novamente em manifestação de 'luto' pelo fechamento da UTI Pediátrica

Magno comentou que todos os grupos querem fazer parte do processo para que depois a sociedade e as próprias Ongs não fiquem sem as repostas devidas sobre a punição que será dada aos responsáveis. “Vamos pedir autorização para participar de todo esse processo”. Testemunhas afirmam que o esgoto ainda está sendo jogado no Rio Vermelho, só que com a saída de outro ponto.

SEMMA

O Secretário Municipal de Meio Ambiente, Luiz Divino Gobbis Gonçalves de Araújo, e o gerente de fiscalização ambiental, Marco Antônio Matos, também participaram da reunião na Câmara e afirmaram que todas as providências administrativas já foram tomadas. Segundo o secretário essa não é a primeira vez que a Semma detecta problemas com a Sanear, mas só que desta vez após o flagrante o órgão terá que arcar com as consequências. “Não podemos deixar passar um flagrante tão grave como esse, estivemos no local e as ações estão sendo realizadas”, conta.

Leia também:  Eventos vão tratar da prevenção da violência na 1ª Infância

De acordo com o secretario a Semma não foi em nenhum momento comunicada de que o esgoto seria despejado no Rio Vermelho. “Não houve contato do Sanear com a Semma, nós não sabíamos o que iria acontecer”, diz.

O gerente de fiscalização ambiental, Marco Antônio Matos, informou que o Rio Vermelho está sendo monitorado 24h por dia depois de uma determinação do Ministério Público para que seja evitado que o esgoto continue sendo jogado no rio.

MATÉRIAS RELACIONADAS

Ambientalista afirma que estação pode ser construída sem ter que jogar esgoto no rio

SANEAR justifica que despejo de esgoto no Rio Vermelho faz parte do processo de troca de bombas

Proteção ao Rio Vermelho: Operação de Fiscalização mobiliza Órgãos e Forças Policiais na Cidade de Rondonópolis/MT

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.