Após denúncias ao Ministério Público sobre o  esgoto a céu aberto em bairros de Rondonópolis  fez com que o órgão  requisitasse uma operação da Fiscalização Preventiva Integrada (FPI) para confirmar possíveis irregularidades e suas causas. Coordenada pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT), profissionais inspecionaram o residencial Portal das Águas e no bairro Jardim Luz Dayara, acompanhado por peritos do Ministério Público e membros do Corpo de Bombeiros. O coordenador da FPI e agente fiscal do Crea-MT, Reynaldo de Magalhães, constatou um cenário realmente preocupante: a situação do sistema de esgoto do Portal das Águas deve-se à falta de manutenção e ao descaso dos responsáveis. “Está ocorrendo um extravasamento dos tanques e em consequência a água que está sendo lançada na rede fluvial do município não é tratada.”

Leia também:  Casario oferece ao público coletiva de artes “SimplesMentes”

Já no bairro Luz Dayara, como algumas residências estão localizadas na parte baixa da encosta, a coleta do esgoto não consegue atendê-las. Para este caso recomenda-se que a coleta se dê pelos fundos dos terrenos, sendo necessário apenas a autorização dos proprietários dos imóveis para a construção de um coletor condominial.

A equipe do CREA também ficalizou a empresa Sanear e a Usina Concentradora de Oxigênio (PSA) do Hospital Santa Casa de Rondonópolis, em retorno a fiscalizações realizadas em 2009, quando foram assinados os Termos de Ajustamento de Conduta. De acordo com Reynaldo, a PSA da Santa Casa encontra-se regularizada.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.