A presidenta Dilma Rousseff apresentará nesta sexta-feira (25/05) sua lista de vetos ao Código Florestal e as propostas do governo para ocupar as brechas legais que serão deixadas pela matéria. Conforme adiantaram o vice-presidente Michel Temer e o ex-ministro Carlos Minc, o veto deverá ser parcial.

Uma alteração significativa deve ser feita no polêmico artigo 62, relativo à recomposição de florestas desmatadas em beira de rio. No entendimento do governo, a versão aprovada na Câmara caracterizava anistia a desmatadores. Caso seja retomada a formulação estabelecida no Senado, os proprietários terão que recompor faixas de mata ciliar de tamanhos variados, a depender da largura do rio.

Dilma se reúne pela manhã com a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e os líderes do governo Arlindo Chinaglia (Câmara), Eduardo Braga (Senado) e José Pimentel (Congresso) para explicar previamente o veto e definir a estratégia para a tramitação de uma nova proposta no Congresso que preencha as lacunas que restarem. Na noite desta quinta (24/05), ambientalistas começaram uma vigília em frente ao Planalto à espera do veto.

Leia também:  Vereador apresenta projeto “Bairro Empreendedor” para fortalecimento dos comércios e aquecimento da economia local
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.