A decisão do médico e vereador Manoel da Silva Neta (PMDB) em se lançar candidato no processo eleitoral indireto, que deve acontecer no dia 13 de junho próximo, caso o prefeito cassado José Carlos do Pátio (PMDB), não consiga retornar ao cargo, abriu mais uma ferida dentro do maior partido da cidade.

O PMDB que têm a maior bancada da Câmara Municipal viveu na noite de ontem mais um dilema, ao debater se lançava Manoel candidato ou se seguia a decisão dos vereadores, Fulô, Adonias e Miltão e apoiavam o prefeito em exercício Ananias Martins (PR) em sua candidatura na eleição indireta, o clima quente dos debates e de racha tomou conta dos filiados, já que uma parte dos filiados, em especial os ligados ao Dr. Manoel desejavam que o partido tivesse um nome para a disputa, do outro lado os vereadores argumentavam que o partido não poderia trair o vereador Ananias que teria sido o principal articulador para que o ex-prefeito José Carlos do Pátio garantisse a governabilidade durante o tempo que esteve a frente do Paço Municipal, “Sou um homem de palavra e coerente, o Ananias, com a sua eleição para presidente da Câmara, garantiu para o PMDB espaço na mesa diretora da casa e até causou um racha no seu partido para garantir que o Zé do Pátio pudesse Governar com tranquilidade”, argumentou o vereador Fulô.

Leia também:  Rondonópolis conta com mais de 10 mil inscrições no ENEM

Já Dr. Manoel argumentava que o PMDB é que deveria terminar o mandato, “Estou sendo partidário, acho que o PMDB é que deveria terminar o mandato, pois existem muitas pessoas que ficam falando que o partido nunca termina o mandato que inicia, foi assim com o deputado Carlos Bezerra, por duas vezes, que deixou a prefeitura para disputar o senado e o governo do estado, depois com o Dr. Alberto e pode ficar pior agora se não terminamos o mandato do Zé do Pátio”, discursou.

Sem um entendimento em torno do nome de seu nome, Dr. Manoel sugeriu que o nome da professora Paula Costa, presidente do diretório municipal fosse apreciado, mas o vereadores reafirmavam seu posicionamento e o clima ficou mais quente, “Vocês estão traindo o partido, vão entregar a prefeitura para o PR que vai querer se passar de salvador da pátria”, gritava o procurador do município, Joabe Teixeira, em reposta, o vereador Adonias Fernandes atacou, “Tenho 28 anos de partido e não vou ficar aqui levando pito de quem em 2010 foi para as ruas fazer campanha contra o PMDB apoiando o candidato do PSDB par governador, isso sim foi traição, não estou traindo o meu partido vou ser coerente e manter firme na minha convicção”. Com o clima cada vez mais quente, o vereador voltou ao debate e reafirmou as denuncias de Adonias, “Agora querem dizer que são fieis ao partido, mas em 2010 peguei um santinho do Dr. Manoel que era candidato a deputado estadual em dobradinha com o Rogério Salles que era candidatado a deputado federal pelo PSDB, entreguei para o Dr. Carlos para sabermos quem estava traindo o PMDB”, atacou Fulô.

Leia também:  Trabalhadores da assistência social aprovam Programa Pró-Família

Já ao final da reunião sem uma decisão tomada e com os vereadores mantendo posição em trono do nome de Ananias, o deputado federal e presidente regional do partido, Carlos Bezerra,  declarou que não havia se chegado a um entendimento, “Não fechamos questão sobre o assunto, os vereadores estão liberados para apoiar a candidatura de Ananias e o Dr. Manoel para manter a sua candidatura, vamos deliberar mais sobre esse assunto e levar a questão para o debate na reunião de segunda-feira do Fórum suprapartidário”, revelou e apesar da declaração de Bezerra que Dr. Manoel poderia manter sua candidatura o médico decidiu por recuar.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.