Elizabeth Alves da Guia que é esposa do secretário geral do PPS cuiabano, Luciano Barros Rocha

A Operação Vespeiro que prendeu e continua investigando o esquema que desviou mais de R$ 18 milhões dos cofres do Governo Estadual revelou nomes de filiados ou pessoas ligadas ao Partido Popular Socialistas (PPS), Vânia Terezinha Coelho que recebeu em sua conta bancária R$ 554 mil, segundo informações do diretório do PPS cuiabano responderá a processo ético no partido e poderá ser expulsa.

Vânia tem um filho com Gil Vicente Ferreira Gomes, que é irmão de Edson Rodrigo, um dos líderes da quadrilha que confessou participar do esquema e ficar com 20% do dinheiro da fraude, cujo o pai é o advogado Vicente Ferreira Gomes.

Além de Vânia, Elizabeth Alves da Guia que é esposa do secretário geral do PPS, Luciano Barros Rocha, recebeu R$ 162 mil em sua conta que teria sido emprestada a Edson Rodrigo Ferreira Gomes, um dos mentores do esquema.

Leia também:  Vereador destaca parceria com deputado estadual

Gil Vicente, também é filiado ao PPS, mas pediu afastamento da atividade partidária em 22 de março, mas o nome dele não aparece como beneficiário no esquema.

A Executiva do diretório municipal de Cuiabá emitiu nota à imprensa na tarde de ontem (24/05) dizendo que tomará duras posições contra filiados envolvidos em corrupção, nepotismo e práticas que contrariem o interesse público, “Qualquer filiado, membro ou militante, que transgrida a ética será levado a responder Processo Ético, garantindo o contraditório e a ampla defesa, dentro da legalidade. Mas, sempre o interesse partidário e a defesa da decência estarão em primeiro plano. Continuamos atentos na defesa do interesse público e da ética, só assim teremos capacidade de construir uma sociedade melhor”, traz trecho da nota.

Leia também:  Setrat atende indicação de vereador e sinaliza ruas do Jardim Serra Dourada
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.