A possibilidade do vereador e presidente da Câmara Municipal de Rondonópolis, Ananias Filho (PR), assumir em definitivo o mandato de prefeito e a recusa do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em acatar os argumentos da defesa de José Carlos do Pátio (PMDB) algumas mudanças devem ocorrer na Câmara Municipal, além da posse do atual vice-presidente da casa, Helio Pichioni, o primeiro suplente, Márcio Guedes (PR) deve assumir a vaga que será aberta caso Ananias seja eleito de forma indireta, prefeito do município, para um mandato tampão.

“Caso eu tenha que assumir em definitivo a cadeira de vereador, vou sentar com o governador Silval Barbosa (PMDB) e discutir a minha situação dentro do staff estadual, (…) não tenho interesse, mas não vou fugir das minhas obrigações, tenho que honrar os votos recebidos”, revelou Márcio Guedes.

Leia também:  STF decide enviar denúncia sobre Temer à Câmara

O atual secretário-adjunto de pavimentação urbana, também revelou que sua intenção ainda é voltar ao governo, “Assumindo o mandato irei até o fim, no dia 31 de dezembro, mas dependo das conversações como o governador penso voltar depois da Câmara para o Governo do Estado”.

Segundo Suplente

Com a confirmação de que Guedes deve assumir a cadeira de vereador deixada por Ananias Filho, o segundo suplente, Fábio Cardozo (PPS), que inclusive já chegou a atuar como vereador por dois meses, pode perder a chance de retornar ao parlamento, o que poderia alavancar sua pré-candidatura a vereador nas eleições deste ano.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.