A estudante I.P.O. (18) e a dentista L.O.N.A. (24) foram vítimas de estupro na madrugada desta sexta-feira (11/05), por volta das 3h08 no bairro Jardim Europa. De acordo com a Polícia Militar (PM), foi encaminhado até o Centro Integrado de Segurança e Cidadania (CISC) D.J.T. (21) que estava com manchas de sangue na camiseta, mas que as duas mulheres não o reconheceram como o autor do crime.

Segundo a PM, uma das mulheres contou que ela e sua companheira haviam saído do evento Top Team e já na última rua do Jardim Europa próximo a uma construção de casas foram abordadas por um suspeito que armado com uma faca fez uma “gravata”  e encostou a arma no pescoço de I.P.O. e em seguida o suspeito pediu para a vítima L.O.N.A. retirar a roupa dela e da companheira que era ameaçada. Uma das vítimas afirmou que como não obedeceram as ordens, o suspeito passou a apertar a faca e causou alguns cortes no pescoço de I.P.O..

Leia também:  Comparsa de tentativa de homicídio no Residencial Farias e outro homem são presos pela Polícia

A PM informou que o suspeito levantou a saia e tentou realizar penetração em I.P.O., mas como não conseguiu o rapaz resolveu obrigar as duas moças a fazer sexo. Um carro onde estava um casal passou pelo local e pediram para que o suspeito largasse as moças, momento em que a estudante I.P.O. quebrou a faca do criminoso, que depois tentou arrastar as mulheres até a área de uma casa próxima. As moças conseguiram se soltar do suspeito ao pedir socorro para duas pessoas que estavam em uma moto e passaram pelo local do fato, com isso o criminoso fugiu.

A PM foi até o local e encaminhou as moças para o Pronto Atendimento. Durante investigações o carro da PM Aurora 2 encontrou D.J.T. que havia saído de um pasto entre os bairros Jardim Azaleia e Parque São Jorge.

Leia também:  Um é preso e menor apreendido suspeitos de roubo à residência

De acordo com a Polícia Miltar, o rapaz que estava com manchas de sangue na camiseta, falou a guarnição que havia feito sexo com uma mulher menstruada. D.J.T. foi encaminhado até o P.A., mas as duas moças não confirmaram o reconhecimento.

Por não portar documentos D.J.T. foi levado até o Cisc para prestar esclarecimentos. O caso será investigado pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.