Instituídos no dia 9 de abril deste ano, o Fórum Político e o Conselho de Governo, imbuídos de discutir a participação do governador Silval Barbosa (PMDB) nas eleições municipais 2012, estão com as ações paralisadas, sem nem mesmo ter sido dado prosseguimento às reuniões subsequentes, entre presidentes de agremiações da base aliada. Faltando menos de 20 dias para o período de realização das convenções, abertas no dia 10 de junho, destinadas a deliberar sobre coligações e escolha dos candidatos como prevê o calendário eleitoral, a falta de avanços sobre o tema começa a preocupar dirigentes partidários. Presidente estadual do PP, Pedro Henry (PP), encabeça a lista dos que irão solicitar nesta semana a retomada dos debates junto ao governador, sob pena de as alianças serem prejudicadas.

A cobrança será feita ainda pelo secretário-geral do PR, deputado Emanuel Pinheiro; presidente estadual do PT, Willian Sampaio; e secretário-geral do PCdoB, Miranda Muniz. Presidente estadual do PSD, vice-governador Chico Daltro, considera importante as discussões e aguarda a chamado para participar dos encontros, que estão sob coordenação de membros da cúpula estadual do PMDB.

Leia também:  Neuma ganha força e ajuda Pátio a tomar decisões

Henry convocou reunião ampliada da legenda, nesta segunda-feira, para tratar de questões partidárias, mas colocará em pauta o assunto. Disse que o quadro, sem avanços a respeito da participação do governador no processo eleitoral, “é ruim”. Admitiu dificuldades de agenda para fazer parte dos encontros, mas voltou a frisar a urgência das definições com a proximidade do período eleitoral. É um dos que mais defendem o mapeamento do quadro, com esperada decisão sobre a forma de atuação do governador no processo. Com as peculiaridades das eleições municipais, onde a formação de composições respeita características regionais e locais, os partidos que formam a base de sustentação da governabilidade, poderão receber outros contornos nas cidades, com composições que poderão os colocar na seara de adversários. Existe insegurança sobre como será conduzida a postura de Silval Barbosa, com peso político suficiente para fazer a diferença na hora de subir no palanque.

Leia também:  Prefeitura encaminha projeto à Câmara que prorroga Mutirão de Negociação Fiscal

Sobre o PMDB já há sinalização. O governador avisou anteriormente que por ser partidário, irá apoiar candidatos da legenda, dependendo apenas de formatação de encaminhamentos internos.

Secretário-geral do PR, Emanuel Pinheiro disse que o partido irá buscar nesta semana novas conversas para reativar as discussões. E acentuou entendimento de que o grupo de trabalho deve chegar a um consenso rápido, para evitar possíveis arranhões políticos diante do embate eleitoral. Willian Sampaio considera fundamental o debate e pontua um cenário em que a ausência de estratégias, no mínimo, preocupa. Miranda Muniz lembra que após a disposição de formação do fórum e do conselho, apenas uma reunião foi realizada, e mesmo assim, com a presença de poucos representantes de siglas, como o PCdoB.

Leia também:  Última audiência para discutir a Lei Orçamentária Anual para 2018 acontece nesta terça (31)

O Fórum de Partidos tinha proposta de realizar reuniões periódicas, no mínimo a cada 15 dias, para elaborar propostas a serem apresentadas ao governador sobre sua participação nas eleições, relacionada à base aliada. O Conselho de Governo, com integração das agremiações que estão juntas na estrutura governamental, deveria se reunir com Silval Barbosa mensalmente, para debater questões da administração de Mato Grosso.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.