Hermes Ávila foi preso na sede do Sanear - Foto: Ronaldo Teixeira / AGORA MT

 

A Polícia Civil acaba de prender em flagrante o engenheiro do Serviço Ambiental de Rondonópolis (SANEAR) Hermes Ávila de Castro, pelo crime contra o meio ambiente.

No fim de semana houve um pedido de prisão de Júlio Goulart, diretor técnico do Sanear, mas foi negado pelo juiz de plantão. Há poucos instantes, Hermes foi preso por uma equipe da Polícia Civil e está neste momento sendo ouvido pelo Delegado Percival Eleutério. Segundo o delegado Henrique Meneguelo, os diretores, Julio Goulart e Terezinha Silva Souza, não foram localizados, “Eles não foram encontrados pela nossa equipe e já estão sendo tratados como desaparecidos”, revelou.

Em coletiva o delegado regional, Percival Eleutério, explicou que a ação da Polícia Civil se dá em razão de um novo boletim de ocorrências registrado pela Policia Ambiental e pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA/MT) que denunciava que o esgoto continuava sendo despejado no Rio Vermelho. Diante da continuidade do Crime Contra o Meio Ambiente foi solicitada a prisão em flagrante da presidente do Sanear, Terezinha Silva Souza, do diretor técnico, Júlio Goulart e do engenheiro Hermes Ávila.

Contudo durante a diligencia da Polícia Civil apenas o engenheiro foi encontrado no SANEAR, mas uma equipe de 20 policiais ainda está a procura de Terezinha e Júlio.

O delegado Percival relatou que uma equipe da policia técnica está no local para realizar um laudo para constatar o crime e reforçar o inquérito.

Meneguelo explicou que o flagrante se deu em razão da continuidade do crime e mesmo com desligamento das bombas o prejuízo já está feito.

O engenheiro do SANEAR afirmou que ação foi uma injustiça, pois ele é apenas um funcionário da empresa e que não tem autonomia para autorizar ou não o funcionamento das bombas que jogam o esgoto no rio.

Agentes da Policia Civil ainda permanecem a procura dos dois diretores do SANEAR.

A Polícia Civil acaba de prender em flagrante o engenheiro do Serviço Ambiental de Rondonópolis (SANEAR) Hermes Ávila de Castro, pelo crime contra o meio ambiente.

No fim de semana houve um pedido de prisão de Júlio Goulart, diretor técnico do Sanear, mas foi negado pelo juiz de plantão. Há poucos instantes, Hermes foi preso por uma equipe da Polícia Civil e está neste momento sendo ouvido pelo Delegado Percival Eleutério. Segundo o delegado Henrique Meneguelo, os diretores, Julio Goulart e Terezinha Silva Souza, estão desaparecidos, “Eles não foram encontrados pela nossa equipe e já estão sendo tratados como desaparecidos”, revelou.

Em coletiva o delegado regional, Percival Eleutério, explicou que a ação da Polícia Civil se dá em razão de um novo boletim de ocorrências registrado pela Policia Ambiental e pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA/MT) que denunciava que o esgoto continuava sendo despejado no Rio Vermelho. Diante da continuidade do Crime Contra o Meio Ambiente foi solicitada a prisão em flagrante da presidente do Sanear, Terezinha Silva Souza, do diretor técnico, Júlio Goulart e do engenheiro Hermes Ávila.

Contudo durante a diligencia da Polícia Civil apenas o engenheiro foi encontrado no SANEAR, mas uma equipe de 20 policiais ainda está a procura de Terezinha e Júlio.

O delegado Percival relatou que uma equipe da policia técnica está no local para realizar um laudo para constatar o crime e reforçar o inquérito.

Meneguelo explicou que o flagrante se deu em razão da continuidade do crime e mesmo com desligamento das bombas o prejuízo já está feito.

O engenheiro do SANEAR afirmou que ação foi uma injustiça, pois ele é apenas um funcionário da empresa e que não tem autonomia para autorizar ou não o funcionamento das bombas que jogam o esgoto no rio.

Agentes da Policia Civil ainda permanecem a procura dos dois diretores do SANEAR.

Advertisements
Leia também:  Irmãs são presas por golpe e polícia recupera motocicleta roubada em Rondonópolis

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.