O grupo americano de internet Yahoo! anunciou neste domingo que Ross Levinsohn será o diretor-geral interino da empresa em substituição a Scott Thompson, afastado do cargo em meio a uma controvérsia sobre seu currículo, supostamente fraudulento.

Thompson “deixou a empresa”, escreveu o Yahoo!, sem dar mais detalhes em um comunicado de imprensa divulgado poucas horas depois da aparição de informações segundo as quais o interessado estava a ponto de se demitir pelas imprecisões em seu currículo.

“O grupo prefere dizer que ele deixará o cargo por razões pessoais”, dizia o site All Things Digital, veículo que anunciou a notícia neste domingo. Mas, segundo a mesma fonte, “seu currículo falsificado e a forma com que lidou com a controvérsia explicam claramente essa saída”.

Leia também:  Médicos brasileiros são acusados de receber propina de fabricante de prótese dos EUA

A controvérsia sobre o currículo de Thompson foi iniciada em 4/5, depois que o fundo especulativo Third Point, um dos principais acionistas do Yahoo!, pediu sua renúncia, acusando o executivo de falsificar seu currículo.

O Yahoo! reconheceu um “erro por um descuido” ao mencionar que seu diretor tinha um título universitário em informática e contabilidade, quando na realidade só tem um diploma na segunda disciplina.

Thompson assumiu suas funções no último mês de janeiro com a missão de melhorar a rentabilidade do Yahoo!. Ross Levinson, até hoje diretor mundial da divisão de meios, é o quinto diretor do grupo em cinco anos.

Para o analista da indústria tecnológica Jeff Kagan, esta nova mudança não vai favorecer a recuperação de uma empresa pioneira do setor.

Leia também:  Garoto de 4 anos fica traumatizado após presenciar avô sendo morto em ataque

“O Yahoo! esteve lutando nos últimos anos e este novo incidente só piora as coisas para a companhia”, considera Kagan.

“O Yahoo! esteve na crista da onda na última década, mas nos últimos anos caiu e continua caindo”, completou.

A empresa, que conta com 14 mil funcionários, tenta recuperar seu lugar como número um dos portais, uma posição arrebatada em parte pelo Google.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.