A presidente do Sindicato dos Servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Sinetran-MT), Veneranda Acosta, participou nesta segunda-feira (07/05) de reunião com o Fórum Sindical e a secretária adjunta de Gestão de Pessoas, Ozenira Félix Soares de Souza, para discutir a indicação de membros para a fiscalização dos contratos e para o Conselho Deliberativo do MT Saúde, além da recomposição salarial referente ao índice inflacionário. Também entraram na pauta os problemas enfrentados com a Consignum, empresa responsável pela gestão de empréstimos consignados dos servidores ativos, inativos e pensionistas.

Sobre o MT Saúde, o Fórum Sindical indicou José Monteiro dos Santos e Jair Rodrigues Teixeira como representantes do Movimento, para serem nomeados fiscais do atual contrato. Veneranda explicou que ambos possuem experiência por já terem trabalhado naquela Autarquia.

Leia também:  Líder em produção de gado, Mato Grosso tem estabilidade em abates no 1º trimestre de 2017

A secretária adjunta garantiu para os sindicatos que será tomada providências com relação aos descontos excedentes nos salários por parte da Consignum. Além disso, ela ficou de marcar uma reunião com a empresa para discutir outros problemas pendentes.

Com relação à correção inflacionária de 2012, de 6,08%, a secretária informou que está em análise pelo Conselho Econômico do Estado, mas o percentual exato ainda não foi definido. Porém, a adjunta confirmou que os acordos fechados serão cumpridos já para a folha de pagamento do mês de maio/2012, conforme publicado nas leis das tabelas salariais.

No caso do Detran-MT, Veneranda adianta que caso o Estado reponha o índice inflacionário de 6,08%, esse percentual será repassado aos servidores em sua totalidade, e não apenas 5.21% firmado na lei da tabela salarial vigente.

Leia também:  Alto Taquari | MP notifica município por desvio de função em cargo público

Outro assunto debatido na reunião foi o recolhimento do Pasep. De acordo com a secretária adjunta, Ozenira, o governo teve problemas técnicos e o dinheiro não foi repassado às respectivas contas do Pasep dos servidores, porém o montante está retido numa conta bancária. “Alguns servidores ao se aposentarem, constataram que existe um valor irrisório referente ao seu Pasep, mesmo após 30 anos de serviço público e reclamaram isso aos sindicatos. Agora vamos fazer um levantamento junto aos servidores e junto ao Estado para sabermos quem teve problemas, e tentar corrigir as distorções”, explicou a sindicalista.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.