A tropa de choque da polícia russa dissolveu nesta quarta-feira (16/05) um protesto contra o presidente Vladimir Putin, expulsando dezenas de pessoas de um parque que passou uma semana ocupado. Pelo menos 15 pessoas foram detidas.

O desmantelamento do acampamento foi mais um capítulo na onda de repressão governamental a protestos contra a volta de Putin à presidência. Depois de oito anos como presidente e quatro como primeiro-ministro, ele tomou posse no último dia 7 para um novo mandato de seis anos.

A polícia chegou ao parque Chistiye Prudy por volta de 5h30 (22h30 de terça em Brasília), ordenando que as cerca de 50 pessoas que pernoitaram no local fossem embora, conforme estabelecia um mandado de reintegração de posse expedido na terça-feira pela Justiça a pedido de três moradores da vizinhança. Líderes do protesto acusaram a polícia de estar por trás da queixa.

Leia também:  Em ato de furto bandidos fazem "pausa" para terem relação sexual

A polícia rapidamente levou os manifestantes para uma estação de metrô próxima, e prendeu pelo menos uma pessoa no parque, segundo uma testemunha. Uma repórter da Reuters viu a polícia deter pelo menos 14 outras perto do metrô.

“As pessoas estavam prontas para pegar suas coisas e sair, mas não nos deram tempo, começaram a empurrar as pessoas para fora”, disse a jovem manifestante Alisa Obraztsova.

O pequeno parque ficou repleto de caixas de papelão, colchonetes, cadeiras de plástico e outros pertences. Garis se preparavam para limpar a área, que estava ocupada desde 9 de maio. Nesse período, o número de manifestantes variava de algumas dezenas a até 2.000.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.