Foto Andre Moraes/Assessoria

A Comissão de Saúde, Assistência Social, Cidadania e Diretos Humanos da Câmara Municipal de Rondonópolis visitou no início da noite desta quarta-feira (06) o presídio Major Eldo Correa de Sá – “Mata Grande”, para observar qual a situação dos reeducandos da unidade, em razão das reclamações de suas esposas e familiares.

A Comissão, que é presidida pelo vereador Mohamed Zaher (PSD) e que tem como vice-presidente o vereador Manoel da Silva Neto, o Dr. Manoel (PMDB), recebeu a queixa de que as visitas foram suspensas e os presos estavam sendo agredidos pelos seguranças da Mata Grande. Tal fato, segundo os familiares dos reeducandos, seria resultado da troca de diretor da unidade prisional.

Leia também:  Barra do Garças | Após denúncia, PM apreende drogas enterradas em terreno

Durante a visita, que foi acompanhada pelo comandante do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM), tenente coronel Walter Silveira dos Santos e do diretor da Mata Grande, Agno Sergio Silva Ramos, os parlamentares foram levados para conversar com os reeducandos.

O comandante Walter explicou aos vereadores que o problema se deu em razão do que ele considerou como excesso de regalias que os reeducandos possuíam e, por esse motivo, em sua opinião, seria natural esse tipo de comportamento de revolta e insatisfação por parte dos reeducandos.

O tenente coronel esclareceu ainda os casos de reeducandos que foram feridos. Segundo ele, tratam-se de pessoas que confrontaram os policiais durante a revista.

Leia também:  Grupo é preso por receptação de rodas esportivas em MT

O diretor da Mata Grande reforçou que apenas está sendo cumprido o que estabelece a Lei de Execuções Penais e ressaltou que o objetivo é apenas colocar ordem na unidade prisional, pois, conforme Agno, os reeducandos tinham excesso de benefícios e liberdade, ao ponto de, segundo ele, quererem mandar nos agentes prisionais.

Outro ponto colocado por Agno é que a população estava sendo penalizada com essa situação, pois de dentro da cadeia os reeducandos conseguiam organizar crimes na cidade.

Diante do que puderam presenciar na unidade prisional, os vereadores avaliaram como positiva a visita e entenderam que a Câmara Municipal poderá intermediar uma discussão mais saudável entre a direção da unidade, reeducandos e familiares para que esse processo seja o mais tranquilo possível.

Leia também:  Motorista bate em motocicleta e foge sem prestar socorro as vítimas

“É importante a presença da Comissão para trazer alento aos familiares e também procurar que os direitos dos reeducandos sejam cumpridos, pois já estão pagando o que devem a sociedade”, frisou Mohamed.

Já Dr. Manoel afirmou que, apesar de positiva, as visitas continuarão para apurar as reclamações. Na opinião do vereador, o caso é reflexo de um processo de mudança onde os reeducandos ficaram inconformados com a perda de regalias e as familiares pela redução na quantidade de visitas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.