Foto: Rodrigo Maciel Meloni / assessoria

A Comissão de Acompanhamento de Obras (CAO) e a Ambiental e de Regularização Fundiária (Carf), formadas por moradores do Residencial Padre Miguel, receberam capacitação esta semana, de duas técnicas do Departamento de Habitação e da assistente social Gisele Vorobi.

O prefeito Ananias Filho entende que é importante dividir a responsabilidade com os futuros donos destas moradias. “É fundamental dividir com eles o trabalho de fiscalizar as obras daquelas que serão suas futuras casas”.

A capacitação consiste em passar para os moradores informações que os forneça conhecimento necessário para fazer o acompanhamento das obras. “Isto é uma exigência da Caixa Econômica Federal, pois no término da obra eles precisam encaminhar um relatório para a instituição do governo federal”, explica a técnica Adriana Morais.

Leia também:  Carnaval ainda é problema para promotor de eventos e prestadores de serviço

Roberta Oliveira, outra técnica da Habitação que trabalha na capacitação dos moradores, explica que o residencial vai abrigar moradores ‘ribeirinhos’, que futuramente deverão deixar suas residências, localizadas em Áreas de Proteção Permanente (APP). “Na 1ª etapa serão entregues 44 casas, na segunda 46 e na terceira e última 70 moradias, totalizando 160 casas”, diz Roberta Oliveira.

COMISSÕES

Os sete moradores que fazem parte da CAO e outros sete que fazem parte da Carf foram eleitos pela própria comunidade para acompanhar o andamento das obras. Uma equipe técnica formada por engenheiros e pelo arquiteto responsável pela obra acompanha os moradores que integram as Comissões durante a fiscalização das obras.

Leia também:  Inscrições para vestibular da Unemat em Rondonópolis encerram neste domingo (21)
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.