Há menos de 10 dias na presidência do Conselho Municipal de Direitos das Mulheres (CMDM), Mara de Oliveira, já pediu afastamento do cargo para entrar na linha de frente durante o perído de campanha eleitoral.

Mara deve pleitear uma vaga a vereadora pelo PSL (Partido Social Liberal), mas caso não seja candidata, ela estará na coordenação da campanha do partido, motivo pelo qual terá que se afastar do conselho.

Os trabalhos do CMDM serão conduzidos pela vice-presidente, Maria Raquel Garcia, que já “foi capacitada” por Mara para atender as mulheres vítimas de agressão.

Advertisements
Leia também:  Romário pode enfrentar Bernardinho na disputa pelo governo do Rio

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.