Fumar narguilé é algo que esta cada vez mais comum entre os adolescentes de Rondonópolis e o uso frequente desse “cachimbo d’ água” preocupa os conselheiros tutelares da cidade. De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a venda e a utilização do narguilé é proibida para menores, e devido o grande número de denúncias o conselho organiza uma ação de orientação  sobre os malefícios que o narguilé causa à saúde.

A coordenadora do Conselho Tutelar da Região I, Lucilene Teixeira dos Santos afirma que os pais precisam estar informados sobre os danos que o uso do narguilé pode causar, como doenças respiratórias, herpes, hepatite e até câncer de pulmão. “Durante o atendimento das denúncias os pais não sabem como lhe dar com a situação, muitos não se dão conta que esse pode ser o primeiro passo para o filho entrar no mundo das drogas”, diz.

Leia também:  Desfile de 7 de setembro conta com mais de 10 mil pessoas

Os profissionais dos Conselhos Tutelares das Regiões I e II, estão organizando um levantamento com as principais denúncias sobre o uso do narguilé para em breve dar início às ações de conscientização. “Durante a última reunião entre os dois Conselhos já foram traçados alguns pontos dessa medida preventiva, em locais como o Distrito Federal o uso do narguilé por menores de 18 anos é proibido por lei, é extremamente necessário conscientizar  nossos jovens”,argumenta Lucilene.

O plantão de denúncias do Conselho Tutelar de Rondonópolis funciona 24 horas pelos telefones (66) 3411-5052 ou (66) 3411-5166.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.