Ele não é filho de Romário, como achou parte da imprensa argentina, mas tem a estrela, a frieza e o oportunismo do tetracampeão. Romarinho pode até mesmo não comemorar o título da Taça Libertadores com o Corinthians, mas nos próximos sete dias, certamente, seu nome estará nas orações e nos agradecimentos de cada um dos mais de 30 milhões de alvinegros espalhados pelo Brasil e no mundo. Foi do garoto de 21 anos, aos 40 minutos do segundo tempo, o gol do empate por 1 a 1 com o Boca Juniors, na lotada La Bombonera, em Buenos Aires, no primeiro jogo da final da competição sul-americana.

A partida de volta está marcada para a próxima quarta-feira, às 21h50m (de Brasília), no estádio do Pacaembu. Como não há na final o critério do gol como visitante, um novo empate leva a decisão para prorrogação. Se a igualdade persistir, a decisão vai para a disputa por pênaltis.

Leia também:  União volta a jogar sábado pelo Sub-19
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.