A direção Regional do partido Popular Socialista decidiu dissolver o diretório municipal de Cuiabá resposta a opinião pública devido ao fato de filiados e membros da direção municipal, conforme amplamente divulgado na imprensa, serem acusados de envolvimento no desvio de recursos públicos da Conta Única do Estado.

Veja a nota emitida pelo PPS:

“A Comissão Executiva Regional do Partido Popular Socialista-PPS, de Mato Grosso, decidiu dissolver o Diretório Municipal do PPS de Cuiabá e sua Comissão Executiva, com base no Art. 41, do Estatuto do PPS, seus incisos e parágrafos, devido ao fato de filiados e membros da direção municipal, conforme amplamente divulgado na imprensa, serem acusados de envolvimento no desvio de recursos públicos da Conta Única do Estado.

Leia também:  De volta ao Mato Grosso

Cabe ressaltar que desde o caso da cassação do mandato do ex-vereador Ivan Evangelista, em 2010, o diretório municipal deveria ter aberto processo junto à comissão de ética para averiguar os motivos da cassação e aplicar as sanções estatutárias aplicáveis ao caso. Nada foi feito.

No caso do desvio de recursos públicos da Conta Única do Estado, aqueles membros dirigentes do Diretório Municipal ou filiados que aparecem como acusados de envolvimento, deveriam, também, sofrer processo na comissão de ética, assim que as denúncias vieram à tona.

Mas, até o momento, a direção municipal se limitou, tardiamente, a divulgar uma nota lacônica à imprensa.

Em todo esse período, desde a cassação do ex-vereador Ivan Evangelista, em 2010, o PPS vem tendo sua imagem de partido decente desgastada junto à opinião pública, sem que a direção municipal tomasse medidas rápidas e eficazes assim que apareceram as primeiras denúncias.

Leia também:  Sem disposição para bater boca com Antônio Joaquim

A Direção Regional do PPS esclarece que os filiados do partido, assim como, os pré-candidatos às eleições de 2012, têm todos os seus direitos garantidos. A dissolução se aplica ao Diretório e, consequentemente, à Comissão Executiva.

Ato contínuo, a Direção Regional do PPS nomeará uma Comissão Municipal Provisória que fará com que o partido apure, dentro das regras estatutárias, garantido o direito de defesa e o contraditório, as acusações sobre aqueles filiados citados nos processos que já são de amplo domínio público e aplique as sanções previstas no Estatuto partidário.

A Comissão Executiva Regional do PPS/MT entende que a conduta ética tem sido o maior patrimônio do PPS. Zelar por isso é obrigação de todos os dirigentes, em quaisquer de suas instâncias. Não se pode aceitar a protelação de medidas urgentes e eficazes nos casos em que a ética partidária não é cumprida.

Leia também:  Não está para brincadeira

Cuiabá, 05 de Junho de 2012.

Comissão Executiva Regional do PPS/MT”

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.