O total de mortes provocadas pelo vírus Influenza H1N1 neste ano no Paraná passou de cinco para 13, de acordo com boletim atualizado na tarde desta segunda-feira (25) pela Secretaria Estadual de Saúde.

Com os oito novos casos registrados pelo Paraná, sobe para 51 o número de mortes provocadas pela influenza A (H1N1) – gripe suína – na Região Sul do país em 2012. Em Santa Catarina, que deve divulgar um novo boletim amanhã (26), já morreram 33 pessoas. No Rio Grande do Sul, cinco. Os três estados registram um total de 571 casos confirmados da doença.

As 13 mortes paranaenses causadas pela influenza A foram registradas desde o último mês de março em dez cidades de diversas regiões do estado: São José dos Pinhais (3), Curitiba (2), Ponta Grossa (1), São Mateus do Sul (1), Astorga (1), Apucarana (1), Cornélio Procópio (1), Tibagi (1), Capitão Leônidas Marques (1) e Siqueira Campos (1).

Leia também:  Veterinária se recusa entregar celular e é assassinada por bandido

Dos 13 casos, onze ocorreram neste mês. O inverno, que começou no último dia 20, facilita a circulação dos vários subtipos do vírus da gripe. Conforme boletim publicado pela secretaria, a faixa etária dos pacientes que morreram variava entre 16 e 70 anos de idade.

Segundo a coordenadora da Sala de Situação, que monitora os casos no Paraná, Ângela Maron, os óbitos podem estar associados ao diagnóstico tardio da doença.

O Laboratório Central do Paraná está analisando cerca de 100 amostras por dia, inclusive nos fins de semana. O exame demora 72 horas para ficar pronto.

O Ministério da Saúde orienta os médicos a prescrever o medicamento antiviral Oseltamivir, conhecido como Tamiflu, a todos os pacientes que apresentarem quadro de síndrome gripal, mesmo antes dos resultados de exames ou sinais de agravamento, conforme protoloco atualizado em 2011.

Leia também:  Paciente morre após ser atingida na cabeça por aparelho hospitalar

Os sintomas da síndrome gripal são surgimento simultâneo de febre, tosse ou dor de garganta, dor de cabeça, dores musculares ou nas articulações

O Brasil imunizou, desde o começo de maio deste ano, 25,1 milhões de pessoas contra a gripe, segundo tabela do Programa Nacional de Imunizações. O número equivale a 83,3% do público-alvo, formado por idosos, crianças de 6 meses a 2 anos, gestantes, profissionais de saúde e índios.

Entre as orientações para se prevenir contra o vírus da gripe estão lavar as mãos várias vezes ao dia, evitar tocar a face com as mãos e proteger a tosse e o espirro com lenço descartável. Em caso de síndrome gripal, a orientação é procurar um serviço de saúde o mais rápido possível.

Leia também:  Tia é a principal suspeita de ter matado criança de 6 anos com bolo envenenado
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.