Filmes publicitários de advertência contra a pedofilia, abuso, e exploração sexual de crianças e adolescentes poderão ser exibidos antes das sessões nos cinemas do Estado de Mato Grosso. A proposta é do presidente da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Amparo à Criança, ao Adolescente e ao Idoso, deputado Emanuel Pinheiro (PR).
O defensor da propositura explica que os filmes publicitários deverão mencionar o serviço executado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República – disque 100, disponibilizado para denúncias de transgressões aos direitos da criança e do adolescente.

O presidente da Comissão disse que o disque 100 registrou de maio de 2003 a março de 2011, 63 mil denuncias de abusos. Ele ainda informou que no ano de 2010 foram registrados 12.487 casos e apenas no primeiro semestre de 2011, 4.205 denúncias foram feitas.

Leia também:  Mais de 12 mil multas são aplicadas por farol apagado em rodovias de MT

Pinheiro ressaltou que diversas campanhas têm sido desenvolvidas por entidades e segmentos da sociedade com a finalidade de combater a pedofilia, entretanto, o Estado não pode restringir a campanhas temporárias, já que é grande o índice de ocorrência em todo o país.

Segundo o deputado essa iniciativa é de extrema importância para a sociedade, por que inibe a prática do crime, alerta a população quanto ao disque 100 e contribui para a prevenção da integridade física e moral da criança e do adolescente. “As vítimas se sentem muito fragilizadas e constrangidas ao denunciar seus agressores por falta de alguém que lute por elas. No entanto como presidente da Comissão de Direitos Humanos, deputado, representante do povo mato-grossense, vejo nesta iniciativa um grande meio de proteger nossas crianças e adolescentes, levando a todas as pessoas, informações de prevenção, como o disque 100”, completou Emanuel Pinheiro.

Leia também:  Seduc abre licitação para construção de escolas em assentamentos rurais
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.