O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Rui Prado, participará, nesta terça-feira (19/06) do lançamento da proposta de criação da APP Mundial que será feita pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), no Rio de Janeiro. A partir de quarta-feira (20/06), a comitiva composta por 30 pessoas representando a Famato, Senar-MT, Imea e Sindicatos Rurais seguirá para o Rio de Janeiro. O objetivo dos participantes é mostrar a importância da agropecuária mato-grossense que se destaca por sua produtividade e sustentabilidade.

No dia 20, às 18h, Rui Prado fará uma palestra sobre a “Agropecuária Sustentável de Mato Grosso”, no estande dos governos da Amazônia Legal, no parque dos Atletas, próximo ao Rio Centro, onde estarão reunidos os chefes de estado e de governo dos países-membros das Nações Unidas. Esta mesma palestra também será feita dia 21, às 14h, no espaço Agro Brasil da CNA, localizado no Pier Mauá.

Leia também:  Projeto investe em educação ambiental para conservação de nascentes na Capital

“A produção agropecuária de Mato Grosso é referência em qualidade, produtividade e sustentabilidade. O mundo precisa saber que temos 62% do território estadual preservado. Nenhum outro país com destaque na agropecuária pode afirmar que preserva o meio ambiente como nós”, afirma Rui Prado.

A APP Mundial é um projeto da CNA que também será discutido no dia 20 em uma audiência pública conjunta das Comissões de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) e de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), do Senado. A proposta foi apresentada em março, na França, pela CNA, Embrapa e ANA (Agência Nacional de Águas) durante o 6º Fórum Mundial da Água.

Além disso, a comitiva de Mato Grosso participará da apresentação da Plataforma de Negócios com Bens e Serviços Ambientais e Ecossistêmicos, baseada no modelo do Instituto Ação Verde. A apresentação será dia 20, a partir das 15h, durante o seminário “Governança Climática da Agropecuária: Mercado de Redução de Emissões ICNA”, no estande da CNA. Este projeto foi idealizado pelo Instituto Ação Verde, uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), durante a gestão de Prado. Após analisar o escopo e os resultados, a CNA resolveu lançar este trabalho em âmbito nacional. A Famato será uma das principais parceiras.

Leia também:  Concurso trará tranquilidade e segurança a servidores da Educação, diz governador

A Plataforma é uma ferramenta para a implantação da Economia Verde, voltada para promover a produção e o consumo de bens e serviços ambientais e o Pagamento por Serviços Ecossistêmicos (PSE). Na prática, este trabalho realiza um inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), elabora projetos de carbono e de créditos de carbono, relatórios de monitoramento e de certificações. Por meio desses serviços todos os setores da economia podem ser assessorados para realizar operações envolvendo créditos de carbono.

A Famato representa os 86 sindicatos rurais do estado. Juntamente com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT) e o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), forma o Sistema Famato.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.