O ex-presidente do Egito Hosni Mubarak foi sentenciado à prisão perpétua por um tribunal egípcio neste sábado (02/06), condenado por cumplicidade no assassinato de manifestantes durante as revoltas populares que levaram seu governo ao fim.

Essa foi a primeira vez que um líder árabe deposto enfrentou pessoalmente um tribunal desde que a onda de levantes atingiu o Oriente Médio no ano passado (2011).

A decisão judicial ocorre em um momento politicamente carregado no Egito, duas semanas depois das primeiras eleições presidenciais livres. Manifestantes do lado de fora do tribunal, muitos dos quais pediam a pena de morte para o ex-presidente, saudaram o veredito com fogos de artifício e entoando “Allahu akbar” (Deus é grande).

Leia também:  Voos são cancelados e mais de 80 pessoas ficam feridas em tufão que atingiu Taiwan
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.