Mato Grosso registrou o 3º maior superávit na balança comercial brasileira, de US$ 5,370 bilhões, ficando atrás de Minas Gerais (US$ 8,743 bilhões) e Rio de Janeiro (US$ 5,438 bilhões). De janeiro a maio deste ano foram exportados US$ 5,902 bilhões. Em contrapartida foram importados US$ 531,387 milhões, conforme dados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), nesta terça-feira (19).

Saldo estadual reflete o crescimento de 43,44% nas exportações no acumulado dos 5 primeiros meses do ano. Considerando somente maio, a alta foi de 94,12% quando foi exportado US$ 1,970 bilhão, contra US$ 1,015 bilhão no mesmo período de 2011. Evolução positiva é puxada pelo agronegócio, principalmente a soja, cujos produtores vivem um bom momento. “Primeiro fator é bom preço no mercado internacional, melhor do que o registrado no ano passado, e o segundo fator é que o volume da safra também é maior”, avalia Seneri Paludo, superintendente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato).

Leia também:  Feriado deve ter aumento de 42% no fluxo de veículos na BR-163

Para o economista Adriano Figueiredo, a exportação no Estado vem crescendo de modo bastante estruturado e sólido, e além disso está diversificando os destinos. “Quando a gente tem problemas específicos com alguns país, tem conseguido redirecionar”.

Pequenos compradores estão buscando mais o mercado mato-grossense, na avaliação da economista Sandra Cristina Bonjour, citando a Índia e o Chile, que elevaram em 1.084% e 669,52%, respectivamente, o valor importado de mercadoria de Mato Grosso. Em contrapartida, as exportações para alguns países retraíram, como o Irã (-60,36%), o Reino Unido (-37,43%) e Argélia (-21,32%).

China permanece como principal destino dos produtos mato-grossenses, sobretudo a soja. Nos primeiros 5 meses deste ano, a comercialização ultrapassou os US$ 2,690 bilhões, o que representou um aumento de 85,94%, em relação ao volume que aquele país comprou no ano passado, quando totalizou US$ 1,447 bilhão. Números que ajudaram a elevar de 35,17% (2011) para 45,59% (2012) a participação da China na lista de compradores de Mato Grosso.

Leia também:  Sobe e desce | Petrobras reduz preços da gasolina e diesel nas refinarias nesta sexta
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.