Neymar pede pênalti após cair na área: árbitro ignora dois lances polêmicos com brasileiro (Foto: Reuters)

O Brasil voltou a sofrer com a maestria de Lionel Messi na tarde deste sábado, em Nova Jersey. Se antes muitos cobravam que o camisa 10 não resolvia para os “hermanos”, agora ele assumiu a responsabilidade e passou por cima do time canarinho. Com três gols, um deles uma pintura, “La Pulga” foi fundamental na vitória de sua equipe por 4 a 3 sobre a Seleção de Mano Menezes, no MetLife Stadium, nos Estados Unidos.

Mas não foi fácil para a Argentina. O Brasil ficou à frente do marcador em duas oportunidades. Os gols do time canarinho foram marcados por Rômulo, Oscar e Hulk. Além dos três tentos de Messi, o zagueiro Federico Fernández após cobrança de escanteio fez o outro para os Hermanos.

Essa foi a segunda vez em três anos que Messi decidiu uma partida contra o Brasil com um gol antológico. Em 2010, no Qatar, no triunfo dos Hermanos por 1 a 0, o jogador também resolveu com uma jogada individual. A seleção brasileira a partir de agora vai se preparar para os Jogos de Londres. A convocação definitiva para o torneio será divulgada no dia 6 ou 9 de julho. A CBF ainda não definiu a data.

Vale lembrar que esse foi o terceiro encontro entre Messi e Neymar. Nos anteriores, vitória do argentino. O primeiro aconteceu entre as equipes nacionais em Doha, no Qatar. O segundo foi na goleada por 4 a 0 do Barcelona sobre o Santos, em partida válida pela final do Mundial de Clubes da Fifa. Na ocasião, “La Pulga” marcou duas vezes.

Neymar pede pênaltis, e Messi resolve no primeiro tempo

Os primeiros minutos de jogo mostraram um Brasil disposto a pressionar a Argentina em seu campo de defesa. Neymar estava até melhor do que Lionel Messi. O brasileiro se movimentava, buscava o jogo e atuava pelo lado direito. Hulk ficou mais pelo lado esquerdo. Aos 10, o camisa 11 canarinho recebeu na entrada da área e errou o alvo. Segundos mais tarde, o argentino tocava pela primeira vez na bola. E não era para ser figurante.

Leia também:  União, mesmo com derrota, avança e joga de novo contra o Dom Bosco

Na primeira grande jogada da Argentina, Hulk deu bobeira e a bola sobrou para Dí Maria. O atacante do Real Madrid tocou para Messi. “La Pulga” invadiu a área, mas foi travado pela zaga canarinho. O jogo continuou corrido, e o Brasil atuando melhor. Mas desperdiçava muitas oportunidades de gol. Aos 15, Oscar fez um ótimo lançamento para Hulk. O atacante invadiu a área e finalizou em cima do goleiro Romero.

Sandro marcava Messi em cima. Não deixava o “melhor do mundo” tocar na bola. Aos 21, o Hermano pediu calma aos companheiros, queria paciência do time para sair da defesa para o ataque. No minuto seguinte, em jogada ensaiada treinada por Mano Menezes nos últimos dias, Neymar cobrou rápido e encontro Rômulo dentro da área. O volante soltou a bomba e abriu o marcador. O goleiro Romero ainda tocou na bola, mas não evitou o tento.

O time canarinho seguiu melhor e teve duas chances de abrir o marcador, todas com Neymar. Na primeira, aos 27, o atacante recebeu lançamento de Rômulo, entrou na área e levou um tranco. Pênalti não marcado pelo árbitro americano Jair Marrufo. Três minutos depois, o camisa 11 recebeu no meio, invadiu a área e vacilou no momento na finalização.

Leia também:  1º Campeonato de Futebol Amador é suspenso temporariamente

Como Neymar não marcou, Messi tratou de iniciar o seu show. Aos 31, Sandro, que até então estava marcando o argentino de maneira impecável, perdeu a bola no meio de campo para Higuaín, que lançou “La Pulga”. O craque invadiu a área e tocou na saída de Rafael Cabral. Três minutos depois, o camisa 10 tabelou com Dí Maria, recebeu na frente, passou pelo arqueiro brasileiro e virou a partida. Festa azul, branca e preta em Nova Jersey.

Mesmo com a virada, o Brasil seguiu tendo uma boa atuação. E Hulk perdeu outra oportunidade clara. O jogador recebeu ótimo passe de Neymar dentro da área e chutou em cima de Romero. Quase o empate canarinho.

E Messi decide o segundo tempo…

O panorama da partida continuou o mesmo. O Brasil buscava o ataque, e a Argentina esperava as vaciladas do time canarinho. Aos seis, Hulk fez boa jogada, invadiu a área e soltou a bomba. A bola passou por cima do gol de Romero. No lance seguinte. Higuaín ficou de frente para Rafael Cabral e finalizou para defesa do arqueiro canarinho.

E foi exatamente por conta dessa busca pelo empate que o Brasil passou a se expor mais na defesa. Higuaín começou a aparecer, principalmente recebendo lançamentos nas costas dos defensores do Brasil. Em uma dessa jogadas, o atacante do Real Madrid saiu na diagonal do gol canarinho e chutou cruzado para fora. Quase o terceiro da Argentina.

A persistência do Brasil surtiu efeito. Aos dez, o entrosamento do Internacional entrou em ação. Oscar tabelou com Leandro Damião e recebeu dentro da área. O jogador dominou de frente para Romero e tocou na saída do arqueiro para deixar tudo igual. Logo em seguida, o camisa 10 da Seleção pediu para sair por conta de uma pancada que levou na região abdominal.

Leia também:  Circuito de Tênis começa nesta quarta em Cuiabá

Mano também tirou Damião para a entrada de Alexandre Pato, enquanto o colorado Guiñazu substituiu Sosa na Argentina. Aos 26, a virada brasileira: Neymar cobrou escanteio da esquerda, Romero falhou e deixou a bola escapar, Hulk pegou de primeira de canhota e marcou.

O gol movimentou os técnicos novamente. Mano tirou Rômulo para a entrada de Casemiro, e Sabella colocou Agüero, herói do título inglês do Manchester City, no lugar de Di María. E mais uma vez a rede balançou após escanteio. Mas, dessa vez, para a Argentina: Messi cruzou e Fernández, de cabeça, voltou a empatar aos 30.

Cinco minutos depois, Neymar teve boa chance para colocar o Brasil na frente. Após falha da zaga, o craque do Santos conseguiu driblar Romero na área e chutou, mas Fernández salvou os hermanos com um carrinho.

Logo em seguida, foi a vez de Messi aprontar. O camisa 10 driblou Danilo na entrada área, mas o lateral – que minutos antes entrara no lugar de Rafael – derrubou o craque do Barça. Falta perigosa: Messi cobrou com categoria, e Rafael Cabral defendeu.

Aos 39, Messi resolveu a parada. Dominou pela direita, deixou Marcelo para trás, arrancou e chutou de fora da área, no ângulo direito de Rafael: golaço. Vitória argentina por 4 a 3. Vitória de Messi.

Já nos acréscimos, Lavezzi e Marcelo se desentenderam, houve troca de empurrões entre brasileiros e argentinos e os dois foram expulsos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.