Manifestantes desafiam lei russa que multa participantes de protestos

Apesar da chuva e da nova lei que endurece as multas aos que descumprirem as normas para a realização de comícios, entre 10 mil e 20 mil manifestantes iniciaram um protesto nesta terça-feira (12) contra o governo do presidente Vladimir Putin no centro de Moscou, segundo estimativas da polícia e dos organizadores.

A passeata começou às 13h (horário local, 6h em Brasília). De acordo com comunicado da polícia, até 10 mil pessoas participam dos protestos. O movimento Solidarnost, um dos organizadores, anunciou que o número de número de participantes pode chegar a 20 mil.

Na liderança da passeata, está o líder opositor Sergei Udaltsov, que nesta terça-feira deveria prestar depoimento no Comitê de Instrução (CI) em uma investigação penal acerca da violenta manifestação de 6 de maio. O advogado defensor do coordenador do movimento opositor Frente de Esquerda, Nikolai Polozov, assegurou à agência Interfax que a polícia não deterá seu cliente, ainda que as autoridades exijam sua presença no CI.

Leia também:  Em ato de furto bandidos fazem "pausa" para terem relação sexual

– Ele é o organizador deste ato e como tal deve garantir a segurança, pelo que sua presença neste grande evento é, em minha opinião, uma justificativa [para não comparecer ao CI].

A manifestação, que agrupa tanto simpatizantes de esquerda como de direita, unidos por sua rejeição a Putin e ao partido governista Rússia Unida, se dividiu em duas colunas segundo suas preferências políticas.

Udaltsov lidera a coluna da esquerda, que avança sob o slogan “Paz às cabanas, guerra aos palácios” e reúne ativistas da Frente de Esquerda e representantes estudantis. Na coluna da direita, liderada pelo grupo Solidariedade, estão também o Movimento Civil Unido, a Defesa Ecológica e os ultranacionalistas, que levam bandeiras imperiais russas e seus próprios cartazes.

Leia também:  Coreia do Norte lança míssil em território japonês e deixa Rússia com grande preocupação

Ilya Yashin, Kseniya Sobchak e Alexei Navalni, também destacados líderes da oposição não parlamentar, não estão entre os manifestantes, já que foram ao CI dar seus depoimentos.

Em um primeiro momento, era difícil avaliar o número de participantes de forma independente porque o protesto acontecia por centenas de metros ao longo das avenidas no centro de Moscou.

Mais de 12 mil membros das forças de segurança – policiais, unidades antidistúrbios e tropas do ministério do Interior – foram mobilizados em Moscou neste 12 de junho, feriado nacional. Várias ruas do centro da cidade estão fechadas para o trânsito de veículos.

A manifestação acontece em um clima de tensão, depois que dezenas de casas de líderes da oposição foram revistadas na segunda-feira (11).

Leia também:  Idosa com superstição joga moedas em turbina de avião e atrasa voo por cinco horas

O comício deve chegar ao fim às 18h locais, enquanto o número de pessoas que participam do ato opositor não deve superar 50 mil, segundo estimativas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.