Dez brasileiros estão na fila de espera de uma empresa na Suiça que ajuda as pessoas a se matarem. A descoberta faz parte de uma reportagem que foi publicada na revista Época e que estará nas bancas neste domingo. Entre uma das personagens, com nome fictício de Raquel, 68 anos, planeja viajar até a Suíça, onde médicos, enfermeiros e psicólogos a aguardam numa clínica. Se ela passar na triagem, vai receber um copo com um barbitúrico misturado a 100 mililitros de água.

Segundo a revista, o líquido tem gosto amargo e, após 5 minutos virá o sono e 30 minutos depois a morte. “Há quatro anos, Raquel pagou R$ 400 para associar-se à Dignitas, organização suíça que cobra cerca de R$ 15 mil para ajudar pessoas a se matar”, diz trecho da reportagem. São 6.261 inscritos, de 74 países, sendo 10 do Brasil.

Leia também:  Defesa de Lucimar diz que gasto de R$ 1 milhão é irrisório
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.