A Polícia Militar registrou 25 homicídios em Rondonópolis no primeiro semestre de 2012, desse total 9 aconteceram em abril. O número de tentativas de homicídios é ainda maior nos seis primeiros meses do ano chegaram a um total de 106 casos.

Segundo os dados da PM desde 2009 o número de homicídios vem se mantendo. Há três anos os casos de pessoas assassinadas na cidade somaram 16 ocorrências, em 2010 esse número passou a 24 e em 2011 foram 22. Já as tentativas vêm crescendo ano a ano.

Em 2009 a polícia registrou 65 casos, no ano seguinte foram 67 e no ano passado esse número passou para 86, um crescimento de 63% em três anos. O Major Sandro da PM explicou que o crime de homicídio é difícil de ser prevenido, porque geralmente ele é planejado e pega a pessoa de surpresa.

Leia também:  Casal é preso e menor apreendido após troca de tiros com PM de Guiratinga

O Major conta que grande parte das pessoas que foram vítimas de homicídio eram envolvidas com drogas. “A maior parte pertenciam a quadrilhas, já possuíam passagem pela polícia. As escolhas deles e do meio onde viviam levaram a ocorrência do crime”, fala.

De acordo com Sandro abril e maio deste ano foram os meses que mais tiveram casos desses crimes na cidade, mas segundo ele não é possível caracterizar o motivo desse alto número de homicídios e tentativas, já que não houve nenhum fato específico que possa ter desencadeado essa onda de crimes durante esse período de 2012.

Para o Major o que pode ser uma das causas desses crimes e outros como furtos e roubos são em relação à lei instituída no ano passado que liberou em torno de 300 presos para cumprir o semiaberto em Rondonópolis. “Todos nós sabemos que grande parte desse número volta a cometer os mesmos crimes de antes”, diz.

Leia também:  Família é trancada em quarto durante assalto no Jardim Mato Grosso

Sandro afirmou que para tentar diminuir as consequências disso para a sociedade a PM vem fazendo abordagens a pessoas e veículos para poder localizar e retirar das ruas armas e drogas. “Procuramos aumentar as viaturas nas ruas nos horários que acontecem cerca de 60% dos crimes que são das 18h às 3h da manhã na tentativa de dar mais segurança à população, mas nem sempre isso é possível devido a vários fatores”, conta.

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.