Lavrador foi detido anteontem e confessou o crime bárbaro que cometeu em Uberaba – Foto: Juliano Carlos / JORNAL DE UBERABA / DIVULGAÇÃO

Um casamento normal, tranquilo e sem brigas. Apesar das aparências, o relacionamento de sete anos de um casal de Uberaba (MG), no Triângulo Mineiro, acabou de forma trágica depois que a dona de casa Rosângela Rodrigues da Mota, de 27 anos, foi enforcada até a morte, dentro de casa, enquanto os dois filhos dela dormiam. O detalhe do crime bárbaro é que os principais suspeitos do assassinato são o marido da dona de casa e o amante dele, um lavrador que morava junto com o casal em uma fazenda e estaria se relacionando com o homem há dois meses. Os dois homens foram presos.

O crime aconteceu na manhã do último sábado (14/07), mas a Polícia Civil só descobriu a trama, encabeçada pelo lavrador Erivelto dos Santos, de 26 anos, nesta quarta-feira (18/07). Ele foi localizado em Uberlândia, também no Triângulo Mineiro, na casa de parentes, e preso após confessar toda a ação. Segundo a delegada Vivian Caroline Borges, da Área Integrada de Segurança Pública (Aisp) do bairro Abadia, o suspeito disse que cometeu o crime “por amor” e que teve a ajuda do amante Rubens Ferreira da Silva, de 24 anos. “Ele contou que, enquanto enforcava a vítima, Rubens segurava os braços da mulher na cama do casal”, disse a delegada.

Leia também:  Várzea Grande | Polícia Civil recupera veículo e prende autor de furto

Antes do crime, o lavrador ainda teria tentado envenenar um dos filhos do casal, de apenas 3 anos. Em depoimento à delegada Vivian Borges, a criança contou informalmente que recebeu veneno de rato das mãos do lavrador. “Ele estava abalado e confuso, mas disse que foi instruído a comer chumbinho e que teria jogado a substância fora”. Apesar da versão, nenhuma substância similar a veneno foi encontrada na fazenda ou nas proximidades.

Localizada

Após ser preso, o lavrador retornou à Uberaba, escoltado por policiais civis, e indicou o local onde jogou o corpo da dona de casa. O corpo foi encontrado com um saco plástico na cabeça, às margens de um riacho, próximo à BR-356, a cerca de três quilômetros da fazenda Primavera – onde o casal morava e trabalhava -, em um bairro rural conhecido como Ponte Alta.

Leia também:  Operação Impúbere | Menor era usada pelos pais para vender drogas em Rondonópolis

A Polícia Civil investiga agora se o crime pode ter sido premeditado pelos dois homens e qual a real participação do marido da vítima no assassinato. O caseiro Rubens da Silva, que também foi preso nesta quarta-feira (18/07) na fazenda onde trabalha, negou qualquer envolvimento no assassinato.

Suspeito prestou queixa

Segundo a delegada Vivian Borges, o marido da dona de casa registrou uma queixa de desaparecimento da mulher na última terça-feira (17/07) três dias após a morte de Rosângela. A suspeita da polícia surgiu depois que as investigações revelaram um envolvimento amoroso entre o lavrador e o marido da vítima. “Descobrimos que o Erivelto havia saído da cidade e achamos estranho”, disse a delegada.

Os dois suspeitos do crime foram encaminhados para a penitenciária Aloízio Ignácio de Oliveira, em Uberaba. O lavrador cumpre prisão temporária de cinco dias e deverá responder por homicídio qualificado, com pena entre 12 e 30 anos de prisão. O caseiro está detido por prisão temporária, com validade de 30 dias, até a conclusão do inquérito.

Leia também:  Mulher é presa em flagrante após furtar R$ 420 em produtos de supermercado
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.