O Conselho de Leigos da Diocese de Rondonópolis, coordenado pelo empresário e Presidente do Sindicato Rural , Miguel Weber, realizou no auditório do CENCON da Paróquia Bom Pastor, na noite de ontem 30, uma reunião para repassar à Diocese um cheque de 77 mil reais, para as obras do Centro de Formação de Fátima de São Lourenço.

O valor, captado com a venda de um imóvel, teve todo o valor destinado às obras de conclusão e mobiliário do Centro, por iniciativa do Movimento de Cursilhos de Rondonópolis, sob responsabilidade do Conselho e, garante a conclusão e mobiliário do edifício em Fátima. O cheque foi recebido pelo Bispo Dom Juventino Kestering e o Centro tem como propósito receber em torno de 150 jovens e adultos de cada vez, prepará-los para a vida social e religiosa, através de Assembléias e trabalho de formação católica.

Leia também:  Simpósio sobre dignidade humana será realizado em Rondonópolis

Um dos mais influentes grupos de trabalho sócio-religioso de Rondonópolis, o Conselho de Leigos da Diocese é formado por empresários e profissionais liberais e, tem em sua direção além de Weber, os executivos Alberto Kern, José Carlos Sartori, Osvaldo E. Martins, Wagner Garcia Junior, equipe responsável pela conclusão das obras em Fátima de São Lourenço.

De acordo com Miguel Weber, o conselho vem tentando desde o fim da gestão Blairo Maggi sensibilizar o Governo do Estado para uma parceria que permitisse a conclusão das obras do centro. Mas apesar das promessas e acordos oficiais, o Governo não honrou os compromissos com a Diocese de Rondonópolis até hoje. “Como a obra tem que ser concluída, o mais rápido possível, para que o Centro de Formação possa entrar em funcionamento, o Conselho de Leigos decidiu se responsabilizar em viabilizar os recursos necessários. Para isto se valeu de um terreno da Associação Decolores, vinculada ao Movimento de Cursilhos de Rondonópolis. A venda deste imóvel foi integralmente destinada à finalização das obras. Isto apenas prova que um grupo de pessoas de boa vontade, com a ajuda da comunidade católica, pode substituir até mesmo o Estado, se o objetivo foi meritório e, reconhecidamente necessário para a população”, finalizou Weber.

Leia também:  Técnico do União lamenta: “Dava para ir mais longe”
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.