Pacaembu será o palco da grande decisão da Libertadores (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Chegou o tão sonhado dia para os corintianos! Depois de décadas de dolorosas derrotas e muita provocação dos rivais, o Timão pode finalmente conquistar a Libertadores pela primeira vez em sua história. A taça pode vir nesta quarta-feira, a partir das 21h50m, em grande estilo. A equipe de operários comandada por Tite só sairá do Pacaembu campeã se for de forma invicta e contra ninguém menos que o Boca Juniors, bicho-papão da competição nos últimos anos, com seis títulos.

O gol de Romarinho que empatou o primeiro jogo por 1 a 1, na Bombonera, encheu os alvinegros de esperança, mas não deixou ninguém em vantagem para o decisivo duelo. Para levantar o troféu, Corinthians e Boca precisam vencer. Como a regra do gol fora de casa não vale para as finais, uma nova igualdade por qualquer contagem leva o confronto para 30 minutos de prorrogação. Se ela persistir, haverá cobranças de pênaltis.

Leia também:  Copa do Brasil é a meta de Pesso

A seu favor, o Corinthians conta com os mais de 35 mil torcedores que transformarão o tradicional estádio paulistano em um caldeirão de sentimentos que deixará todos com o coração na boca e claro, na ponta da chuteira dos jogadores. O retrospecto como mandante também é favorável. Em seis partidas em São Paulo nesta edição do torneio, o Timão venceu cinco e empatou uma, sofrendo apenas um gol.

Mais do que o inédito troféu, o Timão pode atingir uma marca histórica. Desde 1978, com o mesmo Boca, nenhum clube consegue ser campeão sem perder um jogo sequer. Até agora, o Alvinegro acumulou sete vitórias e seis empates em 13 partidas. Os outros que conseguiram foram Peñarol-URU (1960), Santos (1963), Independiente-ARG (1964) e Estudiantes-ARG (1969 e 1970).

Leia também:  Derrota diante do Dom Bosco gerou prejuízo financeiro ao União

Do outro lado, o Boca Juniors parece não se abalar com o tropeço em Buenos Aires e confia em seu poderoso histórico de nove finais e seis títulos, alguns deles contra brasileiros. Em quatro decisões como visitante, a equipe ficou com a taça em três: 2000 contra o Palmeiras, 2003 diante do Santos e 2007 frente ao Grêmio – em 77, bateu o Cruzeiro no terceiro jogo, disputado em campo neutro. Em 2004, perdeu para o Once Caldas, na Colômbia.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.