A subcomissão especial da Câmara dos Deputados que estuda taxas e tarifas bancárias solicitou ao Banco Central (BC), ao Tribunal de Contas da União (TCU) e ao Ministério Público Federal (MPF) a indicação de especialistas para ajudar na análise das tarifas de serviços bancários cobradas dos clientes, informou o presidente da subcomissão, deputado Chico Lopes (PCdoB-CE).

Instalada no final de maio, no âmbito da Comissão de Defesa do Consumidor, a subcomissão trabalha com o objetivo de reduzir o número de tarifas, de modo a garantir mais transparência aos serviços oferecidos pela rede bancária, além de evitar que o cliente se confunda ao ter uma lista muita vasta de serviços, o que o faria ter dificuldade de escolher aquele que realmente necessita.

Leia também:  Enem terá prova personalizada e lanches serão fiscalizados para coibir fraudes

“Queremos evitar que o consumidor pague por serviços a que tem direito, no pacote essencial definido pelo BC, e que, eventualmente, possam ser embutidos em pacotes de nomenclaturas e composições diferentes, que contribuem para aumentar a confusão do cliente”, acrescentou o consultor legislativo Luiz Humberto Veiga, estudioso da matéria, que está se dedicando exclusivamente à subcomissão e pretende lançar, ainda este ano, um livro sobre o assunto.

Segundo Humberto, há casos em que, em vez de elucidar o cliente sobre as tarifas a que tem direito gratuitamente, o encarregado do atendimento acena com pacotes de serviços que até barateiam algumas operações, mas encarecem outras que nem são necessárias. “Não raro, o gerente preenche o contrato e o cliente apenas assina, sem a devida avaliação sobre o que é mais conveniente para ele”, ressaltou.

Leia também:  Durante assalto crianças entre 5 e 10 anos são feitas reféns em SP

A diretora de Assuntos e Pesquisas da Fundação Procon de São Paulo, Valéria Rodrigues Garcia, alerta para a necessidade de uma análise do cliente para que ele não assuma gastos desnecessários e supérfluos, ao contratar uma lista muito extensa de serviços. “O cliente deve verificar, antes de mais nada, quais os serviços adequados para sua movimentação bancária e optar pelo que for mais vantajoso”.

De acordo com Valéria Garcia, o pacote essencial do BC garante serviços gratuitos a quem faz poucas movimentações e atende às necessidades da maioria dos brasileiros com conta-corrente e/ou conta de poupança.

Mensalmente, o pacote dá direito a quatro saques (caixa, cheque ou terminal), duas transferências em contas da própria instituição, dois extratos, dez folhas de cheque, compensação de cheques, cartão de débito e um extrato consolidado do ano anterior, até final de fevereiro, para o Imposto de Renda. No caso da poupança, são dois saques.

Leia também:  Tia é a principal suspeita de ter matado criança de 6 anos com bolo envenenado

Em maio, o Procon-SP fez uma pesquisa com os sete maiores bancos do país, para identificar os pacotes e cestas de serviços disponíveis, pois a diversidade oferecida pelas instituições financeiras “dificulta e até impossibilita uma comparação adequada, pelo consumidor, quanto à melhor opção”.

Ao comparar os dados da pesquisa deste ano com dados apurados em maio do ano passado, o Procon-SP constatou que a diferença de valor entre os pacotes padronizados e tarifas de serviços prioritários chega a 70% em alguns casos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.