Reunião do GGI realizada nesta terça-feira no auditório da ACIR

O uso das tornozeleiras eletrônicas em reeducando do semiaberto da Penitenciária Eldo Sá Corrêa “Mata Grande” e a transferência de presos de Cuiabá para cumprimento de pena em Rondonópolis foram algumas das pautas debatidas nesta terça-feira (03) na reunião do Gabinete de Gestão Integrada (GGI).

Nildeson Cândido da Silva, secretário executivo do GGI, expôs que a proposta da Secretaria de Estado de Segurança Pública é transferir inicialmente 300 reeducando de Cuiabá para o município, como condição para implantação do sistema de tornozeleiras eletrônicas.

A maioria dos membros do GGI questionou a condição e discorda da transferência, haja vista as consequências que trarão para a cidade, principalmente com o aumento de reeducandos na Mata Grande. “Não podemos só colocar presos na penitenciária, precisamos de uma estrutura maior e melhor para atender a demanda e evitar que ocorra um inchaço descontrolado na unidade prisional”, argumentou o comandante da Polícia Militar em Rondonópolis, tenente coronel Walter Silveira dos Santos.

Leia também:  Pátio reconhece problema, mas nega fechamento da Coder

O secretário executivo do GGI sugeriu a realização de um Fórum com a sociedade civil organizada para debater as condições e buscar estratégias para serem apresentadas com contraproposta para a Secretaria de Segurança Pública, como por exemplo, uma estrutura maior, em número de efetivo, para o sistema de segurança.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.