Foto: AgNews
Reynaldo Gianecchini foi o convidado especial do Programa do Jô, gravado na tarde da ultima terça-feira (10), na TV Globo, em São Paulo, e contou tudo sobre sua luta para combater um raro linfoma não-hodgkin que foi diagnosticado, em meados de agosto do ano passado. O ator explicou que o tratamento acabou, inclusive a quimioterapia, mas continua fazendo acompanhamento médico para o controle da imunidade.

O ator disse ainda, que que está prestes a escrever um livro narrando toda sua luta contra a doença para dar forças a quem precisa. Ele falou que já havia recebido vários convites para fazer a obra e que achou este o melhor momento.

“Vai sair o livro, deixei de viajar para começar a ser realizado. Vai ser escrito pelo Guilherme Fiuza, o mesmo que escreveu Meu Nome Não É Johnny. Recebi várias propostas e comecei a realizar se era realmente interessante. Todo mundo me falava na rua sobre casos em casa e achei que poderia ter algo social. Comecei a receber várias propostas de medicinas e crenças alternativas. Teve até cura por ETs, que foi a mais inusitada. Eu tinha de olhar para um gráfico amarelo e uma energia vinha sobre a minha cabeça… eu dava uma olhadinha e eu sou fácil de acreditar.”

Leia também:  Rico e Lázaro | Nitócris procura por Lia e propõe aliança

Gianecchini está de volta ao trabalho e já começou a gravar as primeiras cenas de seu personagem em Guerra dos Sexos, de Silvio de Abreu. Ele declarou que está num ritmo alucinante, mas arrumaram dois dublês para não cansá-lo.

“Voltei com muita vontade. Dispensei os dublês. Meu personagem é muito ativo. Voltei fazendo tudo, foi muito bom voltar. No teatro foi linda minha volta e foi emocionante. Chorei e não consegui segurar. Logo que eu pude, já voltei para os palcos. Os médicos e enfermeiros estavam lá. Não consegui não chorar. Foi lindo! Foi espontâneo.”

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.