Mano Menezes admitiu a má fase. A imprensa cobrou um pouco mais nos Jogos Olímpicos. E Neymar mostrou neste domingo que pode ser decisivo para a Seleção. Com um gol e duas assistências (um cruzamento para Alexandre Pato e um passe de calcanhar para Oscar), o atacante foi fundamental na vitória do Brasil por 3 a 1, de virada, sobre a Bielorrússia, no Estádio Old Trafford, que recebeu 66.212 torcedores em Manchester. O resultado garantiu de forma antecipada a classificação da equipe às quartas de final do torneio masculino de futebol. Na comemoração do craque do Santos, homenagem ao jamaicano Usain Bolt, um dos ídolos que o camisa 11 sonha conhecer nas Olimpíadas.
O brasileiro naturalizado Renan Bressan abriu o placar para a Bielorrússia aos 7 do primeiro tempo, mas Pato, que foi titular no lugar de Leandro Damião, empatou aos 14. Neymar fez um golaço de falta aos 19 da etapa final (o 100º do Brasil na história do futebol olímpico) e Oscar completou a virada já nos acréscimos, aos 47. A vitória deixou o Brasil na liderança do Grupo C com seis pontos, enquanto o rival segue com três. Egito e Nova Zelândia, que empataram por 1 a 1 mais cedo também no estádio do Manchester United, somam um ponto cada. Na última rodada da chave, a Seleção vai encarar a equipe da Oceania, quarta-feira, às 10h30m (de Brasília), no estádio St. James Park, em Newcastle.

A torcida em Manchester vivia a expectativa de ver de perto o meia-atacante Lucas, do São Paulo. O jovem está na mira do Manchester United e pode reforçar o time de Alex Ferguson na temporada 2012/2013. Mas o jogador começou no banco, entrou na etapa final e não teve tempo de mostrar muita coisa aos ingleses.
Se terminar em primeiro lugar, o time de Mano vai enfrentar o segundo colocado do Grupo D, dia 4 de agosto, em Newcastle. Se ficar em segundo, o rival será o líder da mesma chave, em Manchester. O Grupo D tem Japão, Marrocos, Espanha e Honduras, com jogos a partir das 13h (de Brasília) deste domingo.
Um pouco mais cedo, o México venceu o Gabão por 2 a 0, em Coventry, pelo Grupo B, e chegou aos quatro pontos. Os dois gols foram marcados pelo atacante Giovanni dos Santos (ex-Barcelona e filho de um brasileiro) no segundo tempo. Os mexicanos ficam na liderança, mas Coreia do Sul e Suíça, que somam um ponto, ainda se enfrentam neste domingo. O Gabão também tem apenas um.
Brasil leva susto logo no início, mas Pato deixa tudo igual
A etapa inicial começou dando a impressão que seria um ataque contra defesa. Enquanto a Bielorrússia entrou em campo no 5-4-1, o Brasil usou o 4-3-3 característico de suas últimas apresentações. Neymar pela esquerda, Hulk pela direita, e Alexandre Pato como o homem de área. Leandro Damião, que atuou na estreia contra o Egito, acabou ficando como opção no banco de reservas.
Mas, nos primeiros dez minutos, a “retranca” da Bielorrússia ficou só no desenho tático. A seleção europeia iniciou melhor e fez um gol logo aos 7. Kozlov cruzou da direita e o brasileiro naturalizado Renan Bressan testou sem chance de defesa para Neto. O lateral Rafael foi quem deixou o jogador livre na grande área para completar para as redes.
Após o gol, o Brasil até permitiu os rivais se aproximarem do gol, mas a qualidade técnica superior do time canarinho passou a aparecer a partir dos 14 minutos. Neymar, que atuou praticamente toda etapa inicial como um meia-esquerda, cruzou na cabeça de Alexandre Pato: 1 a 1. Na comemoração, desabafo e dedos apontados para o céu.
O Brasil se encontrou na partida, mas sentia falta de uma boa participação de Oscar, que não conseguia repetir as atuações das últimas partidas. O apoiador, recém-contratado pelo Chelsea, errava passes e parecia perdido em campo. Hulk era um dos destaques, criando lances principalmente pelo lado direito.
O problema é que o último passe, na maioria das vezes, sempre era um cruzamento para área. E tirando o gol de Pato, as outras tentativas foram em vão. Até por conta da diferença de média de altura das duas seleções: 1,86m dos bielorrussos contra 1,81m dos brasileiros.
E até por conta no exagero nas bolas levantadas na área, o goleiro Gutor, que atua no BATE Borisov, foi pouco acionado. Na maioria das vezes, apenas para cortar cruzamentos dos jogadores brasileiros.
Logo no início da etapa final, Mano colocou Lucas, Paulo Henrique Ganso e Leandro Damião no aquecimento. Não demorou para os torcedores começarem a gritar pelo nome do apoiador do São Paulo, que está cotado para reforçar o clube da casa (Manchester United). No jogo, o time canarinho seguiu pressionando em busca da virada. Oscar voltou mais aceso, acertando mais os lances.
A primeira chance clara aconteceu aos 5. Marcelo recebeu de Oscar na entrada da área e finalizou para ótima defesa de Gutor, que espalmou para escanteio. Com a subida de produção do apoiador do Chelsea, o Brasil passou a apostar mais nos avanços pelo lado esquerdo, principalmente com Neymar.
Diferentemente do primeiro, quando abusou dos chuveirinhos, o Brasil preferiu tocar mais a bola. E desta maneira chegou com mais perigo ao gol dos bielorrussos. Aos 13, Oscar fez ótima jogada pelo meio, cortou um adversário e arriscou de fora da área. O goleiro Gutor voltou a defender e evitou a virada.
Aos 18, Mano colocou o time ainda mais ofensivo. O treinador sacou o volante Sandro e apostou na entrada de Paulo Henrique Ganso. No minuto seguinte, a virada do Brasil. Em cobrança de falta, Neymar bateu com perfeição no mesmo canto do goleiro, mas no ângulo, para colocar a Seleção na frente: golaço, 2 a 1.
Empolgado com o gol, Neymar enlouqueceu a defesa da Bielorrússia aos 34, quando arrancou pela direita, passou por três rivais, entrou na área e foi derrubado após dar um belo drible. Porém, o árbitro japonês não marcou pênalti.
Aos 39, Mano tirou Alexandre Pato para a entrada de Lucas, o “xodó” dos torcedores locais por causa do interesse do United. Logo em seguida, Hulk saiu e deu lugar a Danilo, seu companheiro de Porto. Maioria absoluta das 66.212 pessoas presentes no Old Trafford, a torcida brasileira aplaudiu os dois substituídos.
Aos 42, em posição semelhante à falta do gol de Neymar, Oscar cobrou com muito perigo do ângulo esquerdo de Gutor, mas o goleiro da Bielorrússia fez grande defesa e evitou o terceiro da Seleção.
O golpe final veio aos 47. Neymar arrancou pela esquerda, passou por dois rivais e tocou de calcanhar para Oscar, com um chute por cima do goleiro, fechar o placar: 3 a 1 para a Seleção, já garantida das quartas de final das Olimpíadas.

Leia também:  Luverdense perde do Inter com gol polêmico no final
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.