A Polícia Federal (PF) deflagrou ontem (13) a Operação Xawara, para reprimir o garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami em Roraima. Pelo menos 26 pessoas já foram presas e cinco aviões usados no garimpo ilegal foram apreendidos. A operação prossegue durante a tarde e novas prisões podem ser feitas.

Ao todo, foram expedidos 33 mandados de prisão temporária e 44 de busca e apreensão, além de autorização para apreender 11 aviões, 12 veículos e ainda pedras e metais preciosos. De acordo com a investigação, que durou cerca de um ano, cinco grupos criminosos, compostos por aviadores, empresários do ramo de joalheria e donos de balsas e motores para extração de ouro, atuavam para manter o garimpo ilegal.

Leia também:  Obras de construção treinam funcionários para combater o Aedes aegypti em GO

As aeronaves foram usadas para transportar pessoas, máquinas, alimentos, mercúrio e munição de arma de fogo para o garimpo. Oito pilotos e um mecânico trabalhavam para a quadrilha e terão suas licenças suspensas.

Segundo a PF, a extração de ouro causou “forte impacto ambiental”. O trabalho utiliza dragagem para a busca do metal, com a areia dos leitos dos rios levada por bombeamento do fundo para a superfície de grandes balsas ou em barrancos.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.