Todos os professores presentes na Assembleia rejeitaram a proposta do Governo. Foto da assessoria

Os professores do campus de Rondonópolis da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) se reuniram hoje (30) pela manhã e rejeitaram novamente a proposta de reajuste apresentada pelo Governo.

O presidente da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (ADUFMAT), professor Antônio Gonçalves Vicente, afirmou que a decisão foi em comum acordo entre os manifestantes, mas relatou que as negociações ainda continuam e na próxima quarta-feira (01) quando Governo agendou uma nova reunião deve apresentar outra proposta para a categoria.

O professor observa que com quase três meses de greve o calendário escolar será prejudicado e acredita que as atividades deste ano terminem somente em 2013, mas um posicionamento concreto quanto ao assunto só poderá ser confirmado com o término da greve.

Leia também:  Feriado é prolongado em Rondonópolis

Na nova proposta do Governo o reajuste mínimo passaria de 12% para 25% o máximo, para professores com titulação maior e em dedicação exclusiva, permaneceria em 40%, além dos 4% concedidos pelo governo numa medida provisória.

O aumento seria dado já a partir de março de 2013, e não mais no segundo semestre do ano que vem. O custo total, para os próximos três anos, seria de R$ 4,2 bilhões, em vez de R$ 3,9 bilhões, como previsto na proposta anterior, rejeitada pelos professores.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.