Foto: assessoria

Professores, técnicos e acadêmicos da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) fecharam a entrada do campus de Cuiabá em sinal de protesto contra a falta de negociação por parte do governo federal. Nenhum veículo conseguiu entrar no campus, hoje, no período das 7h30 às 9h. Vários veículos que precisaram passar pelo local, que é rota e até mesmo desvio para muitos, tiveram que procurar outra alternativa.

Conforme Só Notícias já informou, prestes a completar dois meses de paralisação, os professores da UFMT deverão participar do movimento docente na Marcha dos Servidores Públicos a Brasília, programada para 18 deste mês. A informação é do comitê local. A definição ocorreu na última semana, durante assembleia geral, no qual os profissionais decidiram radicalizar o movimento. Conforme assessoria do grupo, somente a mobilização em massa dos docentes pode garantir o retorno do governo federal às negociações com a categoria.

Leia também:  Prazo para solicitar isenção de taxa termina nesta quarta-feira (19)

De acordo com o comando nacional da greve, dia 20 de julho haverá plenária dos servidores públicos federais para deliberação de outro calendário de mobilizações. Ainda segundo o sindicato nacional, há 56 unidades educacionais – entre universidade, instituto e centro federal de educação – paralisadas.

A categoria reivindica o reajuste salarial de 4%, incorporação da Gratificação Específica do Magistério Superior (Gemas) e reestruturação da Carreira Docente, além da valorização da carreira e melhores condições de trabalho. Em Mato Grosso, são cerca de 20 mil estudantes sem aulas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.