A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), em conjunto com o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), montou um forte esquema de segurança para garantir a tranquilidade dos eleitores e mesários durante as Eleições Municipais de 2012. A convite do presidente do TRE, desembargador Rui Ramos Ribeiro, o secretário de Estado de Segurança Pública, Diógenes Curado Filho, e os representantes das polícias Civil e Militar e Corpo de Bombeiros visitaram, na sexta-feira (6), o polo eleitoral de Barra do Garças para apresentar o Planejamento Estratégico de Segurança nas Eleições de 2012 aos magistrados, promotores eleitorais, policiais federais, civis e militares da região.

Essa foi a primeira de uma série de quatro visitas que o secretário de Segurança e o desembargador Rui Ramos farão nos polos eleitorais do Estado para apresentar o esquema de segurança durante o pleito eleitoral. A palavra de ordem era a união de todas as instituições em busca de eleições limpas, pacíficas e livres da corrupção eleitoral. “Temos todos o mesmo objetivo, que é entregar à sociedade, a quem servimos, um trabalho de boa qualidade em todos os sentidos”, ressaltou o presidente do TRE.

Leia também:  Vereador diz que há "eminência parda" atuando nos bastidores

Todos os municípios do Estado, exceto os que possuem unidades da Polícia Federal, terão atendimento da Polícia Judiciária Civil, que vai deslocar policiais das diretorias de atividades especiais para os municípios que não possuem autoridade policial. No total, serão deslocados 89 delegados, 33 escrivães e 123 investigadores, totalizando 248 policiais civis que sairão da sede onde estão lotados para exercer a sua atividade em outra localidade. “Cada delegacia terá, no mínimo, uma equipe formada por um delegado, um escrivão e investigador no dia da eleição”, disse o delegado geral da Polícia Judiciária Civil, Anderson Garcia.

Os 67 novos delegados nomeados recentemente pelo Governo de Mato Grosso também serão utilizados no dia das eleições. “Eles não atuarão como delegados efetivamente, mas no auxilio e no apoio das equipes policiais para que possamos fazer essa eleição de forma tranquila”, falou Anderson.

Leia também:  Rico e Lázaro | Lior se surpreende com o retorno de Asher à Babilônia

A Polícia Civil deverá agir na apuração e coleta de provas dos possíveis crimes eleitorais. “Antes das eleições, a Polícia Civil, em parceria com o serviço de Inteligência da Sesp, trabalharão de forma integrada para evitar abusos eleitorais nos municípios”, ressaltou Anderson.

A Polícia Militar vai disponibilizar 3.618 policiais militares. Do total de militares, 1.631 estarão envolvidos diretamente nos locais de votação. O restante, 1.987, estarão nas ruas e também darão apoio nas ocorrências relacionadas ao dia da votação. Os militares realizarão o policiamento ostensivo a pé e motorizado, em todos os locais de votação, além de rondas nos locais de apuração dos votos, cadeião e unidades prisionais.

O Corpo de Bombeiros atuará antes e durante as eleições. Antes do dia de votação, o Corpo de Bombeiros intensificará a fiscalização de vistoria técnica nos lugares que terão concentração de pessoas. “Temos locais de votação que irão receber mais de sete mil eleitores ao longo do dia. Esses locais necessitam de condições mínimas para proteção contra incêndio e pânico”, disse o diretor operacional do Corpo de Bombeiros, tenente-coronel BM Júlio Cézar Rodrigues.

Leia também:  Em ônibus, Polícia localiza mochila recheada de cocaína

Durante as eleições, os militares estarão distribuídos nas seções com maior número de eleitores, realizando a prevenção contra incêndio e pânico, auxílio, orientação e primeiros socorros. Para o secretário de Estado da Sesp, a integração entre as forças de segurança está maior neste ano. “A segurança pública tem um papel fundamental para que se tenha um pleito eleitoral com tranquilidade, segurança e democracia”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.