Manifestação dos professores de Rondonópolis na Avenida Amazonas. Foto Varlei Cordova/AGORA MT

A greve dos professores das Universidades Federais e dos Institutos Federais de Educação Tecnológica completa 60 dias paralisação na próxima segunda-feira (16), a mobilização está entre as maiores realizadas no país.

Nesta quarta-feira (11), a categoria se reunirá no campus de Rondonópolis da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), onde será repassado o andamento das negociações em Brasília-DF, o presidente da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (ADUFMAT), professor Antônio Gonçalves Vicente, disse que infelizmente não há o que comemorar até o momento e agora o Governo sugere o corte do ponto dos servidores em greve.

Segundo o presidente da ADUFMAT, em todo o país cerca de 100% das instituições aderiram à greve. Na pauta de reivindicações da categoria estão pontos como a reestruturação das carreiras técnicas e dos docentes, a democratização das relações de trabalho e a aprovação da carga horária de 30 horas para os técnicos administrativos. Em Rondonópolis também é cobrada a ampliação do campus para receber os novos cursos que estão previstos para serem implantados.

Leia também:  Obras de construção treinam funcionários para combater o Aedes aegypti em GO
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.