Servidores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) em Mato Grosso deflagraram greve, nesta manhã (23), em Cuiabá. Os profissionais estão reivindicando reposição salarial, já que a última foi concedida apenas em 2009. Eles também cobram por reestruturação do plano de carreira e novo concurso público. As unidades de Sorriso, Sinop, Alta Floresta e Rondonópolis também podem paralisar as atividades. No Estado, são 181 profissionais atuando, destes, 99 são contratados.

Com a paralisação dos profissionais do IBGE, o movimento grevista dos profissionais públicos federais está mais forte no Estado. Recentemente, o Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Mato Grosso confirmou que a paralisação conta com a participação dos profissionais do INCRA, Funai, Secretaria Regional do Trabalho e Emprego (ligada ao Ministério do Trabalho) e do Ministério da Saúde.

Leia também:  Mortes na BR-163 caem 32% no 1º semestre do ano

O movimento grevista com maior duração é dos professores Universidade Federal de Mato Grosso, que estão desde meados de maio com braços cruzados em busca de reajustes e adequações no plano de carreira. Os técnicos administrativos da UFMT também estão em greve, bem como os profissionais do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.