Foto: Cuiaba.2014

O governador de Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB), rebateu o relatório do Ministério das Cidades e garantiu que deve começar, em janeiro de 2013, a instalação dos trilhos do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), modalidade transporte coletivo que será construído na região metropolitana de Cuiabá para Copa do Mundo de 2014. A obra deve ficar pronta três meses antes do início do mundial de futebol. O anúncio foi feito durante coletiva à imprensa realizada nesta terça-feira (24) no Palácio Paiaguás, na capital, para apresentar o balanço das obras.

O ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, afirmou na semana passada que Cuiabá é uma das quatro sedes da Copa que estão com as obras de mobilidade urbana atrasadas. A principal crítica do ministro foi em relação ao VLT, que estaria atrasado por conta das dificuldades com as desapropriações, emissões de licenças ambientais e ainda a falta do projeto executivo da obra. O governador ressaltou, porém, que já conversou com o ministro e o atualizou sobre o estágio atual das obras em Cuiabá.

Leia também:  Inscrições para curso gratuito preparatório para o Enem são prorrogadas em MT

A obra da trincheira do Zero Quilômetro, próximo ao Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, será a primeira do VLT a impactar na rotina dos motoristas. Ela esta prevista para começar no início de agosto.

Silval Barbosa prevê que até março de 2014, três meses antes do mundial de futebol, deve inciar os testes dos carros nos trilhos do VLT e já vai estar pronta toda a sinalização para o sistema entrar em operação. “Estou apostando demais neste cronograma estabelecido pela empresa”, frisou o governador.

Segundo o chefe do Executivo, no auge da obra, vão estar trabalhado mais de 4 mil operários. Além disso, a obra deve ser executada em até três turnos. “Nós vamos cumprir todos os prazos que a Fifa estabeleceu”, afirmou o governador.

Leia também:  Ministério Público de Mato Grosso é o mais premiado do país

O VLT será implantado nos canteiros centrais de algumas das principais avenidas das duas cidades, totalizando 22,2 km de trajeto. Uma rota vai sair do final da Avenida Historiador Rubens de Mendonça (CPA) em Cuiabá e seguirá até o Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande. Já a outra linha deve iniciar no fim da região do Coxipó e terminar no Centro da capital.

“Não vamos ter problema com dinheiro para a execução da obra”, garantiu o Silval. Para financiar os custos da implantação, Silval Barbosa já assinou no mês passado o contrato com a Caixa Econômica Federal no valor de R$ 423 milhões, montante já aprovado para o Bus Rapid Transit (BRT), antigo modal, e que será redirecionado para o VLT.

Leia também:  Inscrições para curso gratuito preparatório para o Enem terminam nesta segunda

A segunda etapa da liberação dos recursos deve acontecer nos próximos dias, com a assinatura do contrato de R$ 727,9 milhões financiados pelo Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) por meio da CEF. O governo de Mato Grosso entrará com o montante de R$ 110 milhões em contrapartida não financeira (valor das desapropriações), totalizando R$ 1,26 bilhão de investimento.

Além do VLT, as obras da matriz de responsabilidade que o governador assinou com a União e a Fifa são: a construção da Arena Pantanal e as obras ao entorno do estadio; o Fan Park; a criação de dois centros de treinamentos oficiais (COT’s) e a ampliação do aeroporto.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.