Foto: Agencia Brasil

O primeiro dia depois do encerramento das Olimpíadas de Londres já começa a colocar o Rio de Janeiro no clima dos próximos Jogos. Nesta segunda-feira, por volta das 17h, chegou à cidade a bandeira oficial do evento, em uma espécie de início oficial da nova jornada olímpica. A capital fluminense passa a ser o centro da competição até 2016, quando será a responsável por receber os maiores atletas do planeta.

A bandeira foi entregue no domingo pelo prefeito de Londres, Boris Johnson, a Eduardo Paes, mandatário carioca. De lá, ela viajou ao Brasil escoltada por atletas como os irmãos Esquiva e Yamaguchi Falcão e o velejador Robert Scheidt, medalhistas em 2012. Maurren Maggi, ouro em Pequim 2008, também esteve no voo.

Assim que chegaram ao Rio, os integrantes da comitiva abriram a bandeira e, com ela deflagrada, desceram as escadas do avião. Era Paes quem a segurava. Além dos atletas, ele estava acompanhado pelo governador fluminense, Sérgio Cabral, e pelo presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman.

Logo depois, ocorreu uma cerimônia oficial de largada do ciclo olímpico no Rio de Janeiro. Cinco pessoas participaram de um pronunciamento e de uma coletiva de imprensa: Paes, Cabral, Nuzman, Scheidt e o vice-governador do Rio, Luiz Eduardo Pezão.

Leia também:  Várias ambulâncias e helicóptero são solicitados para resgatar vítimas de acidente no DF

“É uma alegria muito grande chegar ao Rio de Janeiro com a bandeira olímpica. É um símbolo das Olimpíadas. Elas são um período de quatro anos que é muito especial na vida de qualquer cidade. Quem esteve em Londres teve a oportunidade de ver a fantástica transformação da cidade, em coisas físicas, que você percebe, vê, toca, como o Parque Olímpico, mas também as transformações não palpáveis, a marca de um país, de uma cidade, a mexida na autoestima de um país. Vejo a chegada dessa bandeira olímpica como a consolidação de um período de transformações importantes para o Rio de Janeiro” – disse Paes.

Durante a coletiva de imprensa, que reuniu cerca de 200 jornalistas, incluindo representantes da mídia internacional, o prefeito Eduardo Paes abriu espaço para o bom humor e fez brincadeira com os irmãos Falcão:

“Esses dois é que vão proteger a bandeira, com a ajuda dos soldados da guarda especial. Mas se for preciso, o (governador) Cabral já me autorizou a pegar o Bope (Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Rio de Janeiro) emprestado – brincou o prefeito”.

Leia também:  TSE lança campanha nas redes sociais para acabar com mitos eleitorais

Robert Scheidt, bronze na classe Star ao lado de Bruno Prada, discursou em nome dos atletas e cometeu uma pequena gafe ao citar o nome dos políticos que estava presentes. O velejador agradeceu ao “Luiz Fernando” quando se referiu ao vice-governador do Rio. Depois da pequena confusão, o medalhista falou sobre a expectativa pelos Jogos de 2016.

“No domingo estávamos em Londres com a bandeira, na cerimônia de encerramento, e agora já estamos aqui. Então, já quebramos o primeiro recorde. Todos os atletas se sentem privilegiados de participar esse processo. Quando estivermos aposentados, vamos olhar pra trás e pensar neste momento excepcional do esporte brasileiro, quando os Jogos foram realizados pela primeira vez no nosso país” – disse Scheidt.

Após a experiência de acompanhar os Jogos de Londres, o prefeito do Rio reconheceu que o evento dará um nível de visibilidade inédito para a cidade no mundo.

“Os olhos do mundo estão todos voltados para o Rio agora. Ontem, no aeroporto de Londres, precisamos passar por algumas salas e haviam várias equipes de jornalistas fazendo reportagens sobre o Rio. Nunca estamos em uma posição confortável diante de um evento dessas proporções. Mas estamos no prazo e vamos prosseguir sob a fiscalização atenta de todo o mundo” – disse Eduardo Paes.

Leia também:  Em cinco dias, 3 bancos são assaltados e criminosos fazem o terror no Ceará

Na chegada da delegação no Aeroporto Internacional Tom Jobim, um grupo de oito pessoas protestou contra Eduardo Paes, questionando remoções de famílias para obras visando à Copa do Mundo de 2014 e às Olimpíadas de 2016. Com uma réplica da bandeira e um troféu montado com tijolo e restos de obra, eles chegaram a distribuir papéis aos jornalistas com sugestões de perguntas aos entrevistados, e permaneceram no local até depois da coletiva.

A bandeira será protegida pela Guarda de Honra da Bandeira Olímpica, formada por servidores integrantes da Guarda Municipal, e ficará exposta no Palácio da Cidade, com visitação aberta ao público. Ela será transferida para o Pavilhão Olímpico, na Cidade Nova, quando a construção for concluída – e permanecerá lá até o início dos Jogos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.