Quando a Justiça Eleitoral e os eleitores mais esclarecidos acham que já tinham conhecido todo o tipo de falcatrua para se vencer uma eleição, eis que surge mais um candidato que parece ter inventado mais uma forma de comprar votos, o Facebook.

Pelo menos esta é a acusação que o Ministério Público Eleitoral fez a justiça, requerendo inclusive a inelegibilidade e cassação do registro de candidatura do tucano Pedro Subtil (PSDB), que é locutor e comentarista de rádio na cidade de Peixoto de Azevedo.

De acordo com a promotora eleitoral, Fernanda Pawelec Vieira, conforme a Lei 9504/97, configura captação ilícita de votos o candidato doar, oferecer, prometer, ou entregar ao eleitor qualquer bem ou vantagem pessoal em troca de votos. Com isso a promotora acusou o candidato a vereador de usar a sua página do Facebook para anunciar doação de cestas básicas, dinheiro, cadeira de rodas e remédio para população carente.

Leia também:  'Socialite' depõe na justiça dos Estados Unidos
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.