Mato Grosso foi responsável por retirar do campo 26% das embalagens recolhidas no país. Estima-se que o estado destinou para reciclagem cerca de 6 mil toneladas de frascos somente nos sete primeiros meses deste ano. O estado é líder na reaproveitamento dos frascos. Em todo o Brasil, foram recolhidas 23,1 mil embalagens, representando um crescimento de 5% em relação ao que foi observado no mesmo período do ano passado, quando 22 mil embalagens foram recolhidas.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Impev) a destinação correta dos produtos é crescente em todo o pais. Em Mato Grosso, por exemplo, o crescimento foi de 1%, considerando que foram recolhidas 5,9 mil embalagens de janeiro a julho do ano anterior. Para a coordenadora de operações do Inpev, Rosângela Soto, o desempenho favorável é resultado do empenho de todos os elos da cadeia. No entanto, ela destaca a participação do produto no processo de encaminhamento correto das embalagens vazias.

Leia também:  Secretaria promove 1º Encontro de Assistentes Sociais do Sistema Penitenciário

Conforme ela, o homem do campo que vive principalmente da agricultura tem a obrigação de lavar, por três vezes, as embalagens após usá-las. “O procedimento da tríplice lavagem é o que define se o frasco será ou não reciclado. Se não for bem lavado será incinerado”. Mas ela ressalta que a responsabilidade ainda não é de conhecimento de todos os produtores. “Muitos agricultores familiares e pecuaristas não sabe como fazer a destinação correta dos produtos. Talvez porque não têm informação”.

Benefício – O produtor de Sorriso, município a 420 km de Cuiabá, Laércio Linz, recolhe embalagens vazias de 15 em 15 dias. A prática de recolhimento e destinação dos frascos pode se diferenciar entre os produtores, mas não deve demorar mais que 12 meses para serem encaminhados a uma central de recebimento. “Espero encher uma caminhonete para levar as embalagens”. Ele conta que em sua região há produtores que preferem terminar a safra para tirar o produto da propriedade. Para o agricultor, o procedimento tornou-se normal e essencial para a atividade. “Era prejuízo deixar na fazenda pois não temos como armazená-las corretamente. A destinação para reciclagem é a melhor forma para contribuir com o meio ambiente”.

Leia também:  Inscrições para expositores já estão abertas
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.