Comerciantes conceituados de Rondonópolis que foram detidos na última sexta-feira (10) acusados de receptar açúcar roubado.  Divulgaram na tarde de hoje (13) uma nota de esclarecimento sobre o caso.

Confira na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

 

Os empresários do setor de alimentação Ailton Ferreira da Silva, Marcos Antônio Freitas, Omar Alberto Pereira e Florisvaldo Ferreira Gonçalves vêm a público, em razão do acontecimento ocorrido no dia 10 de agosto (sexta-feira), esclarecer os fatos.

Os empresários adquiriram de boa fé, mediante pagamento à vista e também com cheques pré-datados, 101 sacas de açúcar dos senhores Heldo Rodrigues Cardoso e Wilson Pires. Tal negociação ocorreu na primeira quinzena de julho. Na ocasião, o vendedor informou que iria apresentar nota fiscal do produto vendido em data posterior, o que não ocorreu.

Leia também:  Em jantar dançante, Marinho & Seus Beat Boys comemoram 50 anos de história

No dia 10 de agosto os empresários foram surpreendidos por agentes da Polícia Judiciária Civil, que os convidaram a comparecer à Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) para prestarem informações. Assim fizeram, de forma voluntária e espontânea. Alguns chegaram ao local às 9 horas da manhã. Os empresários permaneceram na delegacia até às 18 horas sem serem comunicados ou encaminhados a prestar esclarecimentos a respeito de qualquer fato.

Neste mesmo dia foram encaminhados até o Centro Integrado de Segurança e Cidadania de Rondonópolis, onde por volta das 22 horas foram informados de que estavam detidos por supostamente terem cometido o crime de receptação dolosa. Causou espanto aos empresários e a seus advogados o fato de que a autoridade policial de plantão já havia, antes mesmo de ouvi-los, elaborado as suas “Notas de Culpa”.

Leia também:  Caminhão derruba postes e deixa região da Vila Mineira sem energia

Diante de tal arbitrariedade, já na data do dia 11 de agosto foi concedido pelo juiz plantonista a liberdade aos mesmos para que aguardem a conclusão do inquérito instaurado para apurar a veracidade dos fatos.

Considerados pessoas idôneas nas suas funções, estabelecidos na cidade há mais de 15 anos, geradores de renda e postos de trabalho. Os empresários, acreditando e confiando, na inocência, aguardam a conclusão das investigações.

 

Assinam

Ailton Ferreira da Silva;

Marcos Antônio Freitas;

Omar Alberto Pereira e

Florisvaldo Ferreira Gonçalves

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.