Patrícia Maria da Silva de 35 anos entrou em contato com a equipe do AGORAMT. Ela há vários anos procura a mãe Maria de Fátima da Silva, natural de Natal-RN, que nunca conheceu.

Patrícia descobriu aos 12 anos que era adotada, pois notou a diferença dos sobrenomes dos pais adotivos. Foi aí que a verdade foi revelada, ela teria sido entregue, ainda bebê pela mãe que trabalhava em uma boate em Aragarças-Go.

Há algum tempo ela encontrou a dona da boate conhecida como “Maninha” aqui em Rondonópolis, e descobriu que a mãe tem entre 47 e 50 anos e teria ido na época trabalhar em uma usina, porém a proprietária nunca mais teve notícia dela.

Leia também:  Garota de 12 anos mata tio com facada para proteger irmã grávida no PR

Patrícia mora em Alto Taquari há dez anos e procura incansavelmente a mãe “Já contratei até um detetive particular para encontra-la, e também quis fazer um retrato falado. A “Maninha” disse que me pareço muito com ela e seria fácil reconhece-la” afirma ela.

Advertisements
COMPARTILHAR
Artigo anteriorHomenagem à Fittipaldi
Próximo artigoAldeia Rosa Bororo

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.