Em cinco dias de fiscalização na região de Santo Antônio do Leverger, fiscais da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) e policiais da Delegacia do Meio Ambiente (Dema) apreenderam 350 quilos de pescado irregular. Dezenas de peças de pintados, cacharas, jaus e dourados estavam com sinais de pesca predatória e muitos fora das medidas permitidas por lei. Uma pessoa foi presa e vai responder por transporte de pescado em desacordo com a legislação.

Conforme o delegado titular da Dema, Carlos Cunha, cerca 200 quilos estavam com sinais de malhas de rede, o que caracteriza a pesca predatória e outros acima da medida máxima, estipulada pela nova lei 9794/2012, que estabelece, além da medida mínima, a medida máxima para pesca em rios de água doce.

Leia também:  Idoso morre após sofrer mal súbito enquanto dirigia no Jardim Iguassu

O coordenador de pesca da Sema, Julio Reiners, disse que na noite de sexta-feira (03.08), os fiscais cruzaram com três barcos no Rio São Lourenço, dois deles conseguiram fugir e um foi interceptado com o pescado que era levado para a região de Rondonópolis. Vários pintados estão acima de 1.30 cm, o que é proibido pela nova lei de pesca. “Agora a legislação estadual estabelece também o tamanho máximo, 1.02 cm para pintado e cachara 65 cm”, explicou.

O pescador ainda estava com a cota ultrapassada na guia de autorização de transporte.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.