Foto: internet

A partir de setembro os mato-grossenses vão pagar mais caro pelo gás de cozinha em função da alta nos custos do setor. O percentual que será acrescido ao preço do botijão de 13 quilos do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) ainda não está definido, mas será calculado com base no aumento do óleo diesel e no dissídio coletivo dos trabalhadores do setor, previsto para ocorrer em 1º de setembro. “As companhias estão finalizando as análises para repassar o reajuste”, informa o presidente do Sindicato dos Revendedores de Gás de Mato Grosso (Siregás/MT), José Humberto Botura.

Advertisements
Leia também:  Dois em cada três alimentos consumidos nas cantinas têm baixo valor nutricional

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.