Foto: Felipe Couto

Será um jogo em tom de despedida. A última partida entre seleções no estádio onde o Brasil conquistou a sua primeira Copa do Mundo, em 1958. Mas o confronto entre a seleção brasileira de Mano Menezes e a Suécia, nesta quarta-feira, às 15h (de Brasília), no Estádio Rasunda, pode ser mais do que isso. Uma virada de página após a decepção pela perda do ouro olímpico ou combustível para mais críticas em caso de novo insucesso do time canarinho.

A partida tem um tom de remodelação. Não de estilo, mas de peças. Um trabalho de transformação na construção da equipe que vai chegar à Copa das Confederações de 2013, no Brasil. Até mesmo o uniforme tem um quê de recomeço. Será uma réplica do utilizado na conquista da Copa de 1958, sem estrelas em alusão aos títulos mundiais.

“Se não tivéssemos esse jogo, o pensamento (na derrota para o México) ficaria por muito mais tempo. Agora temos uma chance para tentar esquecer o que passou. Depois das Olimpíadas precisamos dar sequência no trabalho, num jogo histórico, mas que dentro de campo não terá nada de festa” – afirmou Thiago Silva.

Leia também:  Adversário do União aposta em retrospecto do Mineiro, no Pato Loco e em ex-meia do Santos

A vitória significa um alívio para a comissão técnica. Uma derrota, porém, coloca ainda mais lenha na fogueira de especulações sobre a permanência ou não de Mano Menezes. O presidente da CBF, José Maria Marin, e o diretor de Seleções, Andrés Sanches, deram um voto de confiança ao comandante, que seguirá no comando da equipe mesmo após a perda do título do torneio olímpico.

“O Mano é o treinador da seleção brasileira. Vamos parar de pegar nessa história do treinador. Se tivesse sido campeão, ele não seria o salvador da pátria. E como perdeu, não é o culpado. Todos têm a sua parcela. Os jogadores também precisam saber que devem dar um pouco mais para a Seleção crescer. O trabalho está no caminho certo” – disse o dirigente.

No confronto desta quarta-feira, os jogadores brasileiros e suecos que participaram da final de 1958 serão homenageados pela CBF e pela confederação local. Pelo lado brasileiro, Pelé, Zito, Pepe e Mazzola viajaram até Estocolmo para receber a honraria e fazer parte do último suspiro do Rasunda em partidas internacionais.

Leia também:  Diretoria do União deve apresentar equipe dia 14

Apesar de a equipe estar praticamente confirmada, Mano Menezes preferiu não confirmar o time de maneira definitiva. A dúvida fica por conta de Thiago Silva, que havia reclamado de dores na parte posterior da coxa direita, mas treinou normalmente na última terça-feira.

Com a chegada dos atletas convocados para o amistoso, Mano pôde dar mais experiência à equipe. Fez quatro alterações em relação à base das Olimpíadas. Colocou o lateral-direito Daniel Alves, o zagueiro David Luiz e os volantes Ramires e Paulinho entre os titulares. Sacou Rafael, Juan e Sandro. Marcelo, que sequer viajou para Estocolmo por estar suspenso, é o outro que deixa a equipe.

Com isso, o time titular terá: Gabriel, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Alex Sandro; Rômulo, Paulinho, Ramires e Oscar; Neymar e Leandro Damião.

A não convocação de um goleiro com idade acima dos 23 anos gerou questionamentos sobre a dificuldade para encontrar um arqueiro já pensando na Copa de 2014.

“Temos algumas posições em que precisamos encontrar jogadores definitivos cada vez em menor número. Não vou falar especificamente do gol. O cuidado de não chamar um novo goleiro foi em função do corte de Rafael, que fizemos durante as Olimpíadas. A intenção era de passar a confiança para quem estava lá. A manutenção do Gabriel no gol nessa partida passa muito por isso”.

Leia também:  Árbitros de Mato Grosso participam de curso promovido pela CBF

A seleção sueca tem apenas uma dúvida para a partida desta quarta-feira, a presença do craque da equipe, o atacante Zlatan Ibrahimovic, que se recupera de uma pancada no pé direito. Mas o jogador do Paris Saint-Germain garantiu que fará o possível para ter a chance de atuar pela última vez no Rasunda.

“Eu não quero ficar fora deste jogo. Vamos enfrentar alguns dos melhores jogadores do mundo e quero deixar o Rasunda com boas lembranças” – afirmou.

A Suécia terá várias mudanças em relação à equipe eliminada na primeira fase da Eurocopa. As principais delas na zaga, com a saída de Olof Mellberg, que se aposentou da seleção, e no ataque, onde Ola Toivonen deve fazer companhia a Zlatan Ibrahimovic no lugar de Johan Elmander, que se recupera de lesão.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.